32 anos após sequestro do pequeno Diego em São Fidélis, família mantém esperança de encontrá-lo "Eles roubaram meu irmão, com apenas 2 anos. Imagino que esse menino tenha sofrido MUITO, pois era apenas um "bebê" - postou a irmã de Diego em uma rede social

"Eles roubaram meu irmão, com apenas 2 anos. Imagino que esse menino tenha sofrido MUITO, pois era apenas um "bebê" - postou a irmã de Diego em uma rede social

Esta quinta-feira (07/03) foi uma data triste, mas também marcada por esperança para a família de Diego de Souza Ferreira Guimarães, sequestrado quando tinha apenas dois anos, em São Fidélis. No dia 7 de março de 1987, o menino foi levado por uma mulher, segundo Tatiane Guimarães, irmã de Diego.

A família estava em uma viagem de férias em um sítio na localidade conhecida como Laranjal, no município, quando ocorreu o sequestro. Tatiane relatou que eles saíram do Rio de Janeiro para passar as férias na casa da avó, Beltilde Barreto, mas o que seria alegria, virou tristeza.

A mulher citada por Tatiane e seus dois irmãos chegaram a ser presos no município de Belford Roxo, quatro meses após o sequestro, mas foram liberados e a história segue sem um final. “No mesmo ano do sequestro, no mês do aniversário de Diego, os sequestradores ligaram para dar satisfação que Diego estava bem e que tinha ganhado bolo e bola para comemorar. Foi a juízo, mas infelizmente por falta de verbas para pagar um bom advogado, os sequestradores foram absolvidos (mesmo com todas as provas, gravações). À ouvir do juiz…(pena que à senhora não teve condições financeiras para esse caso)”, postou Tatiane em seu perfil no Facebook.

Atualmente, Diego estaria com 33 anos. Nesta quinta, Tatiane usou um perfil em uma rede social, criado para divulgar fotos e informações sobre o caso, para lembrar a data do sequestro. “ELES roubaram meu irmão, com apenas 2 anos. Imagino o que esse menino tenha sofrido MUITO, pois era apenas um “bebê”. Muitas coisas descobrimos, muitas deixamos de fazer por obediência a Deus (mesmo que nossa vontade seria se VINGAR!) Não sou SANTA, mas a cada dia busco o santo Deus essa cura e peço para não criar em mim o ódio, a vingança… Pois minha esperança está em Deus e ter a promessa realizada, e ser apenas mais feliz e dizer: – SENHOR VALEU A PENA! MESMO SABENDO QUE MUITOS AINDA DIZEM, É IMPOSSÍVEL!”.


Mais do SFn