terça-feira , 20 agosto 2019

Acidentes deixaram mais de 20 mortos em menos de três meses na região Graves acidentes foram registrados em S. Fidélis, Pádua, Miracema, Itaocara, Aperibé, Cantagalo, S. S. do Alto e outras cidades

Graves acidentes foram registrados em S. Fidélis, Pádua, Miracema, Itaocara, Aperibé, Cantagalo, S. S. do Alto e outras cidades

Acidente em que morreu o cabo Porto, em Campos

O ano de 2019 está sendo marcado por uma estatística preocupante, isto porque, em menos de três meses – entre o final de abril e julho – acidentes em municípios da região deixaram mais de 20 mortos, segundo levantamento baseado em matérias publicadas pelo SF Notícias. No final do mês de abril dois graves acidentes abalaram moradores. Na madrugada do dia 30, um motorista morreu após o carro que ele conduzia ter capotado diversas na RJ-116, na localidade de Serrinha, em Aperibé. O trecho possui alto índice de acidentes.

Acidente em Pádua no dia 11 de maio

De acordo com a Polícia Civil, o motorista, identificado como Carlos Henrique Dias da Luz, de 39 anos, foi arremessado para fora do veículo, sendo lançado no quintal de uma residência. Ainda de acordo com a polícia, antes de cair no quintal da casa, o corpo da vítima ainda bateu no telhado do imóvel. (Reveja AQUI). Já na noite daquele mesmo dia um policial militar morreu ao cair de uma ponte em Campos. O cabo Porto, que conduzia uma moto patrulha, acabou colidindo na mureta de proteção da ponte Leonel Brizola, conhecida como “Ponte Rosinha”. Ele foi lançado para a parte de baixo da ponte. O suspeito que o policial perseguia conseguiu fugir. (Veja AQUI)

Maio também foi marcado por tragédias. No dia 11, um motociclista morreu em uma colisão com um caminhão em Pádua (foto ao lado). O acidente aconteceu na altura do KM 30 da RJ-186, no trecho conhecido como “Sete Moças”. Segundo a Polícia Rodoviária Estadual, Geraldo Lopes, de 58 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Com o impacto da batida a moto ainda pegou fogo e a vítima teve parte do corpo queimado. (Confira AQUI).

Ainda em Pádua, uma mulher morreu após ser atropelada por um carro na noite do dia 12. O acidente que vitimou Regilene Alves Costa, de 46 anos, aconteceu na Avenida João Jasbick, no bairro Cehab, bem próximo ao Hospital Hélio Montezano. Segundo a Polícia Civil, o condutor do carro fugiu do local, mas acabou sendo preso pela Polícia Militar. (Veja AQUI)

Já na RJ-158, entre os municípios de Campos e São Fidélis, uma mulher, de 40 anos, e o filho dela, de 4 anos, morreram após um grave acidente no dia 19. Outras seis pessoas – todas do sexo masculino – ficaram feridas. A colisão entre dois carros aconteceu na saída de Campos, em frente à Coca-Cola. Elisângela Ribeiro e David Lucas Ribeiro chegaram a ser socorridos, mas não resistiram. (Reveja AQUI)

Na RJ-160, entre os municípios de Carmo e Cantagalo, um homem morreu e outro ficou ferido após um caminhão que transportava tijolos ter caído em uma ribanceira no dia 13 de maio. Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), o motorista teria perdido o controle do caminhão em uma curva, na altura do KM 32. Um dos ocupantes – o carona – pulou do caminhão, mas acabou sendo atingido e esmagado pelo veículo. (Leia AQUI) Ao todo, no mês de maio cinco pessoas morreram vítimas de acidentes nas RJs 186, 158, 160 e no Centro de Pádua. Também foram registrados acidentes com vítimas fatais em Campos.

Junho também foi marcado por graves acidentes na região. Na tarde do dia 15/06 uma mulher, de 35 anos, morreu após o carro que ela conduzia ter capotado várias vezes em uma canavial às margens da RJ-158 (foto à direita). Ela teria perdido o controle em um trecho que possui um desnível na rodovia, logo após a placa de divisa entre Campos e São Fidélis. Evandra Arantes Barreto foi encontrada fora do veículo por populares. (Reveja AQUI) Na madrugada do dia 15 um caminhoneiro morreu preso às ferragens, em Itaperuna. Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), o acidente aconteceu na altura do KM 15 da RJ-186, no distrito de Aré. (Leia AQUI)

Na RJ-116, entre Miracema e Pádua, uma forte colisão entre dois carros deixou uma vítima fatal e um homem gravemente ferido no dia 16. Uma das vítimas teve uma das pernas decepada com o impacto da batida. De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), um dos veículos teria invadido a contramão e colidido contra o outro. Antônio Luiz Ribeiro da Silva, de 59 anos, morador de Pádua, chegou a ser socorrido, mas não resistiu. (Veja AQUI)

No dia 21 um caminhoneiro identificado como Pitágoras Nascimento Rodrigues, de 27 anos, morreu após a carreta dirigida por ele, que transportava chocolates, ter tombado na entrada de Salgueiro, em Pádua, local com alto índice de acidentes. A carreta saiu da pista, desceu uma ribanceira e tombou. O motorista ficou preso às ferragens. (Confira AQUI)

Ainda no dia 21, um ciclista – Antônio Messias de Lacerda Teixeira, de 58 anos – morreu em um acidente ocorrido na RJ-116, no trecho entre Miracema e o distrito de Venda das Flores. De acordo com a Polícia Civil, o ciclista teria atravessado a rodovia na frente do carro, que não conseguiu desviar. (Leia AQUI)

Já no dia 26, um acidente vitimou José Rogério Rodrigues Amaral, de 57 anos. Ele estava em uma moto que foi atingida por um carro na RJ-158, na localidade conhecida como Canjiquinha, em São Fidélis. Ele foi socorrido e transferido para o Ferreira Machado, onde não resistiu aos ferimentos. Ele estava com a esposa que sofreu ferimentos graves. (Veja AQUI) Em Aperibé, um motociclista identificado como Ewerton Azeredo Mendel, de 23 anos, morreu após uma colisão com um carro na RJ-116. Ele atuava como goleiro no Aperibeense Futebol Clube e no time Casinhas Futebol Club do bairro Ponte Seca, era bastante querido na cidade. (Confira AQUI)

Na tarde do dia 29 de junho, mais um grave acidente chocou a população. Um jovem casal morreu após o carro em que eles estavam ter caído na conhecida “Pedra D’Água”, às margens da RJ-158, no trecho entre São Fidélis e Campos. Brian Gonçalves, de 28 anos, e Tainá de Oliveira, de 32 anos, morreram ainda no local. O veículo saiu da pista e acabou despencando na cabeceira da ponte, na altura do KM 136 da rodovia. (Relembre AQUI)

No dia 30, um motociclista, de apenas 19 anos, morreu ao colidir na guia de proteção da RJ-116. O acidente aconteceu na altura do KM 160 da RJ-116, no trecho do distrito de Valão do Barro, em São Sebastião do Alto. Ian da Silva Rosa não resistiu e morreu no local. (Leia AQUI)

Já neste mês de julho, João Vitor Soares Gomes, de 25 anos, morreu após sofrer um acidente no último dia 3, em Cantagalo. O jovem pilotava uma moto quando teria perdido o controle e colidido fortemente contra um muro na Avenida Djalma Beba Coube, no bairro Triângulo. (Leia AQUI) No dia 6 outro motociclista morreu após colidir contra uma placa de sinalização na RJ-116, no trecho conhecido como “Curva dos Fagundes”, em Aperibé. Thiago Ribeiro, de 33 anos, que era morador de Pádua, chegou a ser socorrido, mas não resistiu. (Confira AQUI)

Já na última sexta-feira (12/07), um jovem – vítima de um acidente ocorrido na noite do dia 11, na estrada que liga a RJ-192 ao distrito de Colônia, em São Fidélis – não resistiu aos ferimentos e morreu no Ferreira Machado, em Campos. Ele teria perdido o controle da moto que conduzia quando acabou colidindo contra uma cerca. (Veja AQUI)

Na madrugada de domingo (14/07) mais um jovem morreu em um acidente registrado em rodovias da nossa região. Thiago Campos da Fonseca, de apenas 19 anos, conduzia um carro quando acabou colidindo contra uma árvore às margens da RJ-116, em Itaocara. Ele morreu ainda no local. (Leia AQUI)

De acordo com a psicóloga Erlane Ventura, Especialista do Trânsito, pesquisas apontam que 90% dos acidentes de trânsito ocorrem por imprudência. “Dirigir em alta velocidade, dirigir sob o efeito de álcool também são imprudências que os motoristas mais cometem, sendo que não medem consequências dos seus atos” – disse em entrevista ao SF Notícias. A psicóloga afirma ainda que a maior parte dos acidentes de trânsito são causados por falha humana.

“A necessidade de dirigir em alta velocidade pode-se relacionar com “busca de sensações fortes”, que se caracterizam pela preferência por novidades e pelo desejo de arriscar -se para consegui -las, isso pode demonstrar o comportamento do infrator no trânsito” – explica. Ela ressalta ainda a importância do uso dos equipamentos de segurança, como o cinto, capacete e a cadeirinha, que podem salvar vidas.


Mais do SFn