terça-feira , 21 novembro 2017

Alerj aprova aumento de salário dos servidores do Degase e de professores da Rede Estadual

barão
Fotos : Jaínne Oliveira/Arquivo

A Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) aprovou nesta quarta-feira (25) o projeto de lei que determina reajuste de 9% no salário dos professores das secretarias estaduais de Educação e de Cultura e para os servidores do Degase (Departamento Geral de Ações Socioeducativas).

No mês de março agentes do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), começaram uma greve que durou aproximadamente 1 mês, após terem pedido o retorno do pagamento de plano de cargos e salários, que foi suspenso no ano de 2011, além de uma política de reajuste salarial igual a dos servidores penitenciários.

A unidade do Degase que fica na RJ 158 no trecho que liga São Fidélis a Campos dos goytacazes, titulada como professora Marilane Henrique Alves tem a capacidade total de atender 80 menores com idade entre 12 e 18 anos que cometem erros nas regiões Norte e Noroeste Fluminense, entretanto atualmente a unidade conta com cerca de 90 menores infratores.

DEGASSE Foto Vinnicius Cremonez 2Já os professores da rede Estadual que aderiram a greve no mês de maio reivindicando reajuste linear de 20% com paridade para os aposentados; fim da terceirização; cumprimento de 1/3 de planejamento extraclasse; 30 horas para os funcionários administrativos; eleição direta para diretores; uma matrícula para cada escola; equiparação salarial entre PEI, PI e PII; reconhecimento do cargo de cozinheira (o) escolar; e 15% de reajuste entre níveis.

A Alerj garantiu ainda a anistia e o fim dos inquéritos administrativos abertos contra os mais de cem professores que faltaram ao trabalho por mais de dez dias consecutivos, ao aderir à greve em maio deste ano.

Segundo o Sepe (Sindicato Estadual dos Profissionais de Ensino), uma nova assembleia unificada entre professores das redes estadual e municipal do Rio será realizada na sexta-feira (27/06), na Tijuca, na zona norte, do Rio, a fim de decidir sobre o futuro da paralisação.


Mais do SFn