segunda-feira , 27 maio 2019

Alunos do IFF Cambuci protestam contra o bloqueio de verbas na educação Servidores, ex-alunos e moradores também participaram do ato

Servidores, ex-alunos e moradores também participaram do ato

Fotos: Divulgação

Estudantes, trabalhadores da educação e moradores de diversas cidades do RJ realizaram uma mobilização nesta quarta (15/05) contra o bloqueio de verbas das universidades públicas e de institutos federais.

Em Cambuci, cerca de 100 alunos, ex-alunos e 20 servidores do Instituto Federal Fluminense (IFF), além de membros da comunidade, também protestaram. Levando faixas e cartazes com dizeres como: “Sem investimento não haverá conhecimento” e “Se você acha a educação cara, experimente a ignorância”, eles percorreram ruas da cidade.

Em abril, o Ministério da Educação divulgou que todas as universidades e institutos federais teriam bloqueio de recursos. No dia 8 de maio o MEC informou que o bloqueio preventivo realizado nos últimos dias atingiu apenas 3,4% do orçamento total das universidades federais.

Em nota o Ministério disse que o orçamento para 2019 dessas instituições totaliza R$ 49,6 bilhões, dos quais 85,34% (R$ 42,3 bilhões) são despesas de pessoal (pagamento de salários para professores e demais servidores, bem como benefícios para inativos e pensionistas), 13,83% (R$ 6,9 bilhões) são despesas discricionárias e 0,83% (R$ 0,4 bilhão) são despesas para cumprimento de emendas parlamentares impositivas.

“O bloqueio de dotação orçamentária realizado pelo MEC foi operacional, técnico e isonômico para todas as universidades e institutos, em decorrência da restrição orçamentária imposta a toda Administração Pública Federal por meio do Decreto nº 9.741, de 28 de março de 2019, e da Portaria nº 144, de 2 de maio de 2019”.

Ainda segundo o MEC, o bloqueio é de 24,84% das chamadas despesas discricionárias — consideradas não obrigatórias, que incluem gastos como contas de água, luz, compra de material básico, contratação de terceirizados e realização e não incluiu as despesas para pagamento de salários de professores, outros servidores, inativos e pensionistas, benefícios, assistência estudantil, emendas parlamentares impositivas e receitas próprias. O valor total contingenciado, considerando todas as universidades, é de R$ 1,7 bilhão, ou 3,43% do orçamento completo.


Mais do SFn