sexta-feira , 9 dezembro 2016
Valão Coroados 15

Ambientalista fala sobre consequências do despejo de esgoto sem tratamento em São Fidélis

Os valões de São Fidélis  –  Arthur Soffiati

sao fidelis antiga 1
Fotos: Arthur Soffiati

Toda bacia hídrica tem um rio principal, afluentes e subafluentes, formando um emaranhado que converge para um ponto central e finalmente para uma lagoa ou para o mar. O Rio Paraíba do Sul não podia ser diferente. Ele é o centro de uma grande rede que reúne rios grandes até cursos d’água diminutos.

O diferente fica por conta da colonização europeia da América. No Brasil, a partir da chegada dos portugueses, em 1500, que faziam parte do mundo ocidental cristão. No início, o estrangeiro precisou recorrer às tecnologias indígenas para lidar com a natureza, como mostra Sérgio Buarque de Holanda. Os barcos portugueses eram muito grandes para entrar nos rios pequenos, mesmo sendo escaleres. Era preciso usar canoas dos índios.

As bacias hídricas eram revestidas de florestas em quase todo o Brasil. Os grupos indígenas sabiam lidar com a floresta. Para instalar suas roças e aldeias, eles abriam clareiras na mata usando o fogo controlado. Quando o solo perdia a fertilidade pelo uso, eles se mudavam para outro local. A floresta se incumbia de regenerar a clareira abandonada, e assim sucessivamente.
Não se pode dizer o mesmo do tipo de assentamento europeu. Ele pretendia ser permanente e expansionista.

A primeira tentativa de instalar uma povoação, uma lavoura e uma fábrica de açúcar na porção de território que futuramente seria chamado de norte e noroeste fluminense ocorreu na foz do Rio Itabapoana, entre 1539 e 1546, recebendo o nome de Vila da Rainha. A experiência não vingou. Só mesmo com os sete fidalgos vindos do Rio de Janeiro, começou uma colonização contínua, em moldes europeus, da região. Campos dos Goytacazes foi um polo irradiador de vilas e povoados. sao fidelis antiga 2De Minas Gerais também vieram colonos que fundaram povoados no noroeste fluminense.

Permanentes e expansionistas, os núcleos habitacionais europeus exigiam desmatamento progressivo e geravam esgoto líquido e lixo sólido. Entre os séculos XVI e XX, os impactos causados pelos assentamentos rurais, industriais e urbanos ainda podiam ser absorvidos pela natureza. Os cientistas estão marcando uma aceleração acentuada da destruição da natureza a partir de 1950. Nunca, nesses 66 anos, houve tanta destruição da Terra. Jamais Dilma, Lula e o PT pronunciariam tal frase. No meio desse processo, São Fidélis sofre as consequências dessa destruição, como a maior parte das cidades do mundo. Em 1815, o príncipe naturalista alemão, Maximiliano de Wied-Neuwied, ficou encantado com o Rio Paraíba do Sul e com as românticas florestas de São Fidélis. Em meados do século XIX, as imagens de São Fidélis feitas por Victor Frond para ilustrar o livro “Brasil pitoresco” de Charles Rebeyrolles mostram transformações profundas.

esgoto soffiati 10Morei em São Fidélis no fim dos anos de 1960. Daquela época aos dias de hoje, a cidade cresceu desordenadamente, os fragmentos remanescentes de mata foram removidos e a produção de esgoto e de lixo aumentou de forma exponencial. Nada restou do romantismo registrado por Maximiliano. No atual ritmo, nada restará da Cidade Poema em futuro muito próximo.

São Fidélis se instalou e cresceu sobre e nas cercanias de quatro valões. Na região serrana do norte e noroeste fluminense, os córregos são chamados de valão. Esses pequenos cursos d’água são, no sentida Nova Friburgo-Campos dos Goytacazes, pela margem direita do Rio Paraíba do Sul são valão Esperança, Catarina e Chatuba. esgoto sofiNa margem esquerda, extensão da cidade conhecida por Ipuca, desemboca no rio um valão cujo nome foi esquecido pelos moradores. Esse e o valão Chatuba são os mais longos e ainda contam com remanescentes florestais em trechos do seu curso.

Não apenas o esgoto de São Fidélis está sendo lançado das residências diretamente no Paraíba do Sul por canos de pequeno e grande calibre, como mostram as fotos.

esgoto sofi 2Grande é o número de pontos de lançamento de esgoto nas margens do Paraíba do Sul. Da mesma forma, os valões também se transformaram em redes coletoras de esgoto a céu aberto. O valão Esperança recebe grande parte do esgoto e do lixo produzidos na Vila dos Coroados. Inclusive sua proximidade da estrada de acesso de São Fidélis, imprensada entre pedras e o valão, não permite calçadas adequadas com gradil protetor junto ao córrego, representando grande perigo de quedas de pessoas, animais e veículos no seu leito.

esgoto soffiati 2Em pior estado se encontra o Valão Catarina, barrado e coberto pela cidade. São Fidélis cresceu numa faixa relativamente estreita de terra plana entre morros e o Rio Paraíba do Sul. A cidade representa uma barragem aos cursos d’água que descem em demanda ao grande rio, além de terem seu leito coberto em grande parte. Varreu-se a sujeira para baixo do tapete a fim de não exalar mau cheiro e esconder a visão desagradável.

Durante as cheias ou chuvas torrenciais, o valão Catarina enche. Não encontrando mais área de expansão, ele transborda pelos pontos abertos e alaga partes da cidade com água contaminada.esgoto soffiati 3 Para resolver esse problema, um prefeito removeu a cobertura do valão junto a sua foz, no Paraíba do Sul, e criou um braço auxiliar para escoamento das águas de enchente, formando assim um pequeno delta de dois braços. A parte descoberta representa hoje grande risco de queda porque suas margens não foram protegidas por gradis ou muros. cavalo valão 4Há pouco tempo, um cavalo caiu de grande altura no fundo do valão, onde há blocos e entulho do antigo capeamento. Se o problema das enchentes foi resolvido, o problema da poluição por esgoto perdura. Como se não bastasse, águas de chuva acumuladas em rebaixamento da cidade foram canalizadas para o valão, como afluentes capeados.

O valão da Chatuba contorna uma colina que foi desmatada e ocupada desordenadamente pela construção de casas. Ele é relativamente longo e protegido por matas ciliares em alguns trechos. Ainda não apresenta grau elevado de poluição, mas caminha para esse estado.

esgoto soffiati 7Já o valão Ipuca devia ser mais limpo há não muito tempo. Sucede que a cidade abre frentes de urbanização acelerada na sua bacia e lança esgoto nela. Tanto quanto o Chatuba, o Ipuca é relativamente longo e tem suas margens protegidas, em alguns pontos, por fragmentos de matas ciliares. A tendência é a remoção desses fragmentos, o aumento da urbanização desordenada e da produção de esgoto e lixo.

O que falta a São Fidélis é uma rede coletora de esgoto e uma estação de tratamento terciário, que retira o máximo da carga poluente. Só com a rede coletora oficial, o esgoto continua sendo lançado “in natura” no Rio Paraíba do Sul. Lançamento clandestino passa a ser então o esgoto particular. A cidade cresce sem infraestrutura de fornecimento de água tratada, rede coletora de esgoto com o devido tratamento e coleta de lixo. O poder público já perdeu o controle dos processos selvagens no município, nos distritos e na sede.

SFn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *