domingo , 11 dezembro 2016
dilma_-_brics

Após atentados em Paris, Dilma Roussef diz que terrorismo do Estado Islâmico deve ser combatido

foto_oficial_do_g20
Foto: Murad Sezer / Reuters. | Destaque: Roberto Stuckert Filho / Presidência.

No último domingo (15.11), a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, participou de uma reunião na Turquia com os chefes de Estados dos Brics, grupo dos países que estão em desenvolvimento que, além do Brasil, conta com Rússia, Índia, China e África do Sul. Em um rápido discurso, a presidente se mostrou favorável à uma ação conjunta da comunidade internacional de “combate sem trégua ao terrorismo”, lembrando dos atentados que mataram pelo menos 129 pessoas e deixaram mais de 200 feridos em Paris, na França.

– Expresso o meu mais veemente repúdio, que é também o de todo o povo brasileiro, aos atos de barbárie praticados pela organização terrorista Estado Islâmico, que levaram morte e sofrimento a centenas de pessoas de várias nacionalidades em Paris, na sexta-feira passada. Manifesto ainda nosso pesar às famílias e aos amigos das vítimas. Estou certa que todos nós nesta reunião dos Brics estamos consternados e queremos manifestar nossa integral solidariedade ao presidente François Hollande e ao povo francês. Essas atrocidades tornam ainda mais urgente uma ação conjunta de toda a comunidade internacional no combate sem tréguas ao terrorismo. – declarou Dilma.

De acordo com uma nota do Itamaraty, os líderes dos Brics decidiram fortalecer a cooperação do grupo com outras nações “na luta contra o terrorismo”. Anteriormente, Dilma já havia mandado uma carta de solidariedade ao presidente da França, onde tratou os ataques terroristas como “covardes” e disse que o momento é de “choque e tristeza”.

Outro assunto tratado na reunião dos Brics foi a economia global que, segundo os líderes de Estado, “ainda está em risco” e com uma recuperação não sustentável. O comunicado oficial diz que “desafios geopolíticos, incluindo a politização das relações econômicas e a introdução de sanções econômicas unilaterais, continuam prejudicando as perspectivas futuras de crescimento econômico”.

Já ontem (16.11), Dilma participou da cerimônia de boas-vindas à cúpula dos 20 países mais ricos do mundo, o G-20, e da primeira sessão do grupo. Ela se reuniu ainda com o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e com o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau.

SFn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *