Após carreta tombar em Pádua, carga de sabonetes é vendida pelas redes sociais Carreta tombou na madrugada de domingo na RJ-186, entre Pádua e Pirapetinga

Carreta tombou na madrugada de domingo na RJ-186, entre Pádua e Pirapetinga

Fotos: SF Notícias

Os moradores das cidades de Aperibé, Itaocara e Santo Antônio de Pádua, ambas no Noroeste Fluminense, e Pirapetinga, em Minas Gerais, nunca viram tanta gente vendendo sabonete nas redes sociais. Os anúncios estão por toda parte; seja no facebook ou em grupos de WhatsApp.

Todos esses sabonetes estavam sendo transportados em uma carreta que tombou na madrugada deste domingo (30/06) na RJ-186, entre Santo Antônio de Pádua e Pirapetinga. O acidente aconteceu no trecho conhecido como “Curva da Ilha”. O motorista não se feriu e a carga estaria avaliada em R$ 40 mil.

Ainda não se sabe ao certo se a carga foi saqueada ou liberada pelo caminhoneiro. Pelas redes sociais, muitos dizem que ela foi saqueada. Já as pessoas que estão vendendo, falam que foi liberada, pois havia seguro.

A Polícia Rodoviária Estadual não soube informar o destino da carga, pois nenhuma viatura foi ao local. O BPRv informou que o posto foi solicitado para dar apoio na sinalização para a retirada da carreta, mas a guarnição estava em outro acidente.

O saque de cargas é um crime que vem crescendo no Brasil. Quem saquear uma carga pode pegar de um a quatro anos de reclusão e multa.

“Subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel: Pena-reclusão, de 1(um) a 4 (quatro) anos e multa”.

§ 2º “se o criminoso é primário, e é de pequeno valor a coisa furtada, o juiz pode substituir a pena de reclusão pela de detenção, diminuí-la de um a dois terços, ou aplicar somente a pena de multa”.

Nota da redação

Algumas pessoas entraram em contato com a nossa redação após a publicação da matéria. Bom, em momento algum afirmamos que estas pessoas furtaram a carga ou que alguém comprou carga saqueada. Apenas fizemos uma matéria sobre a grande quantidade de pessoas vendendo a carga que estava na carreta.

A própria matéria diz: “Ainda não se sabe ao certo se a carga foi saqueada ou liberada pelo caminhoneiro. Pelas redes sociais, muitos dizem que ela foi saqueada. Já as pessoas que estão vendendo, falam que foi liberada, pois havia seguro”.


Mais sobre este assunto

Mais do SFn