quinta-feira , 25 abril 2019

Após denúncia, Ambiental flagra aterramento em Área de Preservação Permanente, em Cantagalo Militares foram até uma fazenda, na RJ-160, onde identificaram o aterramento a 30 metros de um curso d'água

Militares foram até uma fazenda, na RJ-160, onde identificaram o aterramento a 30 metros de um curso d'água

Fotos: Divulgação/ Polícia Ambiental

Policiais ambientais flagraram nesta terça (19) o aterramento de um terreno – de aproximadamente mil metros quadrados – e a extração de substância mineral, em uma Área de Preservação Permanente, em Cantagalo. O flagrante foi possível graças a uma denúncia feita através do Linha Verde.

A equipe foi até uma fazenda, localizada na RJ-160, onde identificaram que o aterramento vinha ocorrendo a 30 metros de um curso d’água. No momento da fiscalização, foram encontrados dois caminhões, sendo que um descarregava material enquanto o outro estava sendo carregado.

Um homem que trabalhava no local informou ter sido contratado para aterrar uma área da fazenda, e apresentou inclusive um documento da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Prefeitura de Cantagalo. Mas, segundo os agentes, o documento só previa um nada opor sobre a instalação de um depósito de terra. 

Os militares foram até a Rua Diavolasse de Oliveira Reis, de onde a terra vinha sendo extraída. O terreno, de aproximadamente 370 metros quadrados, faz parte de uma área de preservação permanente, há 30 metros de um curso de água e em que foi realizada escavação com uso de máquinas retroescavadeira.

Em contato com o responsável por esse terreno, os policiais checaram uma documentação, na qual também havia apenas um nada opor a escavação do lote. O caso foi registrado na 153ª Delegacia do município, com base na lei de crimes ambientais. O número do Linha Verde é 0300 253 1177 (custo de ligação local). Denúncias também podem ser feitas pelo aplicativo “Disque Denúncia RJ” onde é possível enviar fotos e vídeos. O anonimato é garantido.


Mais do SFn