quarta-feira , 26 fevereiro 2020

Após maior cheia da história, Porciúncula tenta voltar à rotina; município pede ajuda Cerca de 85% do perímetro urbano da cidade foi inundado; uma pessoa morreu e 4.500 pessoas ficaram desalojadas. Município teve deslizamentos e desabamentos

Cerca de 85% do perímetro urbano da cidade foi inundado; uma pessoa morreu e 4.500 pessoas ficaram desalojadas. Município teve deslizamentos e desabamentos

Com uma população estimada em pouco mais de 18 mil habitantes, o município de Porciúncula, no Noroeste Fluminense, tenta votar à rotina após enfrentar a maior enchente de sua história. Segundo a Prefeitura, 85% do perímetro urbano foi inundado pela cheia do Rio Carangola, que ultrapassou o limite de transbordo no dia 21 e seguiu subindo até a madrugada de domingo (26), quando atingiu seu maior nível da história na cidade, marcando 8.22 m. A cota de transbordo é de 5.20 m. “Apenas um miolo do Centro, uma parte mais alta, não foi inundado”, disse a Defesa Civil. Ainda segundo a prefeitura de Porciúncula, que decretou situação de emergência, casas e estabelecimentos comerciais ficaram debaixo d’água, desalojando cerca de 4.500 pessoas. Na cidade, o abastecimento de água foi interrompido pela CEDAE, que também foi atingida pela cheia do rio, e foi retomado dois dias depois. (continua após a foto)

Na noite de sábado (25), um músico acabou morrendo afogado. Segundo a Defesa Civil, Anderson Luís Gomes Porto, de 44 anos, tentou atravessar uma rua onde o nível do rio estava muito alto. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu. Ainda segundo a Defesa Civil, as ruas já estão sem água e a Prefeitura iniciou o trabalho de limpeza. As famílias desalojadas devem começar a voltar para suas casas hoje. Elas receberam um kit com material de limpeza. Segundo a Prefeitura, a inundação atingiu os bairros Centro, Operário, Ilha, João Braz, Nova Caeté, Nossa Senhora da Penha, Barra e Olívia Peres. Uma casa foi parcialmente demolida e uma desabou. Seis casas foram interditadas e 138 pessoas foram encaminhadas para os abrigos. Três grávidas foram transportadas por helicóptero para atendimento no Hospital São José do Avaí em Itaperuna. A produção de leite foi perdida nos distritos de Purilândia e Santa Clara. (continua após a foto)

No domingo o Governador Wilson Witzel esteve no município e anunciou recursos para ajudar os atingidos. Porciúncula cancelou as comemorações de carnaval neste ano. No perfil da prefeitura, o município pede doações de roupas, alimentos, água, material de limpeza e outros, já que muitos moradores perderam tudo. Ainda de acordo com a prefeitura, entre os dias de 23 e 26 de janeiro, o município registrou 274 mm de chuva, mais do que o esperado para todo o mês.

Mais do SFn