terça-feira , 22 outubro 2019

Após mais um assalto, DER retira quebra-molas que ainda restavam na RJ-158 A Polícia Civil fez uma operação essa semana em Itereré contra suspeitos de envolvimento em roubos na rodovia, mas na mesma hora em que acontecia a operação, um motorista foi rendido e teve o carro roubado

A Polícia Civil fez uma operação essa semana em Itereré contra suspeitos de envolvimento em roubos na rodovia, mas na mesma hora em que acontecia a operação, um motorista foi rendido e teve o carro roubado

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RJ) retirou, nesta quinta-feira (08/08) os três quebra-molas que ainda restavam no trecho da localidade de Itereré na RJ-158, entre os municípios de Campos e São Fidélis. A retirada acontece após mais um fidelense ter sido vítima de criminosos que se aproveitam do momento em que motoristas são obrigados a reduzir a velocidade devido aos quebra-molas. Duas máquinas foram usadas para retirar os quebra-molas. A operação de retirada começou na parte da tarde e terminou na parte da noite desta quinta. Há uma semana o órgão havia retirado quatro dos sete quebra-molas existentes no trecho, deixando os três, que foram retirados nesta quinta. Nesta quarta-feira (07/08) a Polícia Civil realizou uma operação com o objetivo de cumprir seis mandados de busca e apreensão em casas de moradores de Itereré suspeitos de envolvimento com roubos na rodovia, além de um mandado de internação provisória de um adolescente. Acontece que, na mesma hora em que policiais realizavam a operação em um ponto da localidade, um motorista foi rendido por quatro bandidos que estavam em duas motos em outro ponto de Itereré.

De acordo com informações apuradas pelo SF Notícias, era por volta das 06h30 da manhã quando um fidelense seguia em seu carro – um Citroen C3 – pela rodovia. Ao chegar a um dos quebra-molas que foram deixados pelo DER-RJ em Itereré, ele foi rendido por quatro homens que estavam em duas motos. Os ocupantes de uma das motos emparelharam ao carro da vítima e pediram que o fidelense encostasse o carro. Já os ocupantes da outra moto pararam um pouco mais na frente do carro, impedindo a passagem. A vítima então saiu do carro e os criminosos fugiram levando o veículo. Em depoimento a vítima disse que chegou a passar pelas viaturas da Polícia Civil na rodovia, mas que não conseguiu avisar aos policiais.

O SF Notícias já mostrou ao longo dos anos, e principalmente nos últimos meses, diversos relatos de vítimas da “rodovia do medo”, como a RJ-158 ficou conhecida pelos usuários. A rotina de crimes impõe medo, preocupação e desespero a quem precisa passar pela rodovia. Muitos andam até acima da velocidade permitida pela via para concluir o trajeto o mais rápido possível. A Fotojornalista Lúcia Alonso foi uma das últimas vítimas. No começo do mês (reveja AQUI) ela foi rendida, sequestrada e ameaçada. A vítima teve uma arma apontada para o pescoço e foi obrigada a dirigir por cerca de 30 quilômetros com um bandido dentro do seu próprio carro.

Mais do SFn