Após moradores ficarem 10 dias sem água, Prefeitura de São Fidélis convoca CEDAE para reunião Objetivo é cobrar explicações e soluções para a falta d’água; Ontem, moradores protestaram e a companhia foi notificada pelo Procon-RJ

Objetivo é cobrar explicações e soluções para a falta d’água; Ontem, moradores protestaram e a companhia foi notificada pelo Procon-RJ

Fotos: SF Notícias

O problema teve início ainda no final de 2018, mas somente após mais de dez dias, com moradores sofrendo com a falta d’água, órgãos municipais começaram a se manifestar. Nesta terça-feira (08/01), a Prefeitura de São Fidélis informou que convocou uma reunião com a diretoria da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CEDAE).

Segundo a publicação na página oficial da Prefeitura no Facebook, o prefeito estará cobrando explicações e solução para a falta d’água pessoalmente, nesta quinta-feira (10/01). “Desta vez passou do limite e muita gente ficou sem esse atendimento que é imprescindível, a população pode ter certeza que medidas serão exigidas para que isso não volte a acontecer” – ressaltou Amarildo Alcântara.

Já nesta segunda-feira (07/01), após moradores protestarem na CEDAE, com as contas de fevereiro já em mãos sem ao menos terem água ainda em janeiro, o Procon-RJ notificou a estatal. A empresa tem 15 dias para responder ao Procon, que irá abrir um procedimento para apurar o ocorrido. Se constatado que houve uma falha por parte da CEDAE, ela deve ser multada. Reveja AQUI.

Problema é antigo e recorrente 

Segundo os moradores, não é de agora que a falta d’água afeta a população. Eles relatam que o problema acontece todos os anos e que em menos de dois meses, essa é a quinta vez que eles ficam sem água. Desta vez tudo começou com um problema em uma das bombas que faz a captação da água no Rio Paraíba e a leva para a estação de tratamento.

Desde então a captação começou a ser feita de forma reduzida e pontos mais altos da cidade acabaram sendo os mais atingidos. Com os termômetros chegando aos 40°C, muitos moradores não tinham água sequer para tomar um banho.

Moradora do Santa Terezinha, Lia Maria usou uma piscina para acumular água da última chuva. Ela ficou seis dias sem uma gota de água. Após o protesto na CEDAE nesta segunda, a água finalmente começou a chegar na sua residência, mas ainda sem força para subir até a caixa de água. “Eu moro no Santa Terezinha há 11 anos, e quase todos os anos ficamos sem água em dezembro e janeiro”, disse.

Continua após a foto

CEDAE admite que equipamentos são antigos 

Segundo a companhia, nesses últimos dias, duas bombas apresentaram problemas. A que faz a captação de água no Rio Paraíba e a outra bomba, que leva água para os bairros altos. Ontem, a CEDAE informou que os dois problemas já foram resolvidos e o abastecimento nesses bairros seria totalmente normalizado ainda nesta segunda.

Ainda de acordo com a companhia, quando acontecer algum problema parecido, os moradores podem ir buscar água na sede da estatal, caso tenham algum reservatório que possa ser levado até a CEDAE. A empresa informou ainda que faz manutenção preventiva dos seus equipamentos, mas admitiu que eles são antigos. A CEDAE informou também que duas bombas serão colocadas como reserva. Uma delas já foi adquirida e deve chegar ainda esta semana.


Mais do SFn