Após prisão de presidente, Detran-RJ suspende emissão de documentos Presidente do Detran-RJ foi preso ontem durante uma operação da Polícia Federal

Presidente do Detran-RJ foi preso ontem durante uma operação da Polícia Federal

Fotos: SF Notícias

O Detran suspendeu, em todo o Estado do Rio de Janeiro, a emissão de todos os documentos relativos a serviços do órgão, como carteira de identidade, habilitação e certificados de veículos. A decisão foi tomada após a prisão do presidente Leonardo Jacob. Em nota, o Detran informou que todos os documentos necessitam de chancela do presidente, que foi exonerado após ser preso nesta quinta-feira (08/11) pela Polícia Federal.

Jacob está entre os 22 presos na “Operação Furna da Onça”,  desencadeada pela PF junto ao Ministério Público Federal (MPF), com apoio da Receita Federal, para investigar a participação de deputados estaduais do Rio em esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e loteamento de cargos públicos, e mão de obra terceirizada em órgãos da administração estadual. A operação é um desdobramento da Operação Cadeia Velha – deflagrada em novembro de 2017.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, o Detran serviu como cabide de cargos para deputados estaduais, que trocavam as indicações por apoio político e votos na Alerj. Além de Edson Albertassi (preso em Bangu), Paulo Melo (preso em Bangu) e Jorge Picciani (em prisão domiciliar), que tiveram novas ordens de prisão, sete deputados também tiveram a prisão decretada: André Correa (DEM), Chiquinho da Mangueira (PSC), Coronel Jairo (MDB), Luiz Martins (PDT), Marcelo Simão (PP), Marcos Abrahão (Avante) e Marcus Vinícius “Neskau” (PTB). Também foram alvos da operação o secretário estadual de Governo, Affonso Monnerat e Vinícius Farah, recém-eleito deputado federal pelo MDB.


Mais do SFn