Após questionamento, Destacamento de São Fidélis deve receber novo veículo

corpo de bombeiros sf 2
Fotos: São Fidélis Notícias / Arquivo

Uma instituição que presta um excelente serviço a população precisa de socorro.

O Destacamento 2/5 do Corpo de Bombeiros de São Fidélis passa por dificuldades que não deveria passar, já que é cobrado a taxa de incêndio no município.

A taxa de serviços estaduais relativa à prevenção e extinção de incêndios (taxa de incêndio) passou a ser arrecadada pelo Corpo de Bombeiros a partir de 1997 (Decreto Nº 23.695, de 06 Nov 1997). Anteriormente, a arrecadação era realizada pela Secretaria de Estado de Fazenda.

Constituem fato gerador da taxa os serviços de prevenção e extinção de incêndios, prestados ou colocados à disposição de unidades imobiliárias de utilização residencial ou não residencial, ocupadas ou não. (Art. 1º do Decreto Nº 3.856/80). Os recursos oriundos da taxa de incêndio são destinados ao reequipamento do Corpo de Bombeiros, nas áreas de salvamento e combate e prevenção de incêndio, proporcionando maior proteção à população do Estado do Rio de Janeiro.

corpo de bombeiros sfEstes recursos ainda não chegaram até São Fidélis, diferente de municípios menores como Cambuci e Itaocara, onde não é cobrado a taxa. Nesses municípios os Destacamentos receberam recentemente veículos novos, o que despertou alguns questionamento na população fidelense.

Entre os questionamentos estão a falta de efetivo e as péssimas condições dos veículos que atendem a população, e que acaba prejudicando o excelente serviço prestado pela corporação em São Fidélis. Nossa equipe já presenciou em pelo menos três acidentes, que uma das viaturas estava sem freio, e que era preciso colocar uma pedra para que o veículo não andasse. Outro fato constatado por nossa equipe, era os constantes problemas no motor da ambulância do Destacamento, onde foi preciso usar a ambulância do SUS para fazer o socorro das vitimas de acidente. Essa ambulância foi trocada recentemente por um veículo mais novo, mas os outros carros usados pelos Militares, ainda não foram trocados.

acidente na rj 158 fot Luiz  Goudard 2Outro questionamento é a falta de efetivo. Em um dos acidentes registrados por nossa equipe na RJ 158, sendo uma colisão frontal entre dois carros, deixou seis pessoas feridas, mas naquele dia, apenas seis Bombeiros estavam trabalhando, ou seja, um homem para cada vítima, prejudicando o serviço dos Militares e o socorro das vítimas. Em outros acidentes também presenciamos a falta de efetivo, onde Bombeiros de outras cidades que passaram pelo local , e até mesmo a população, ajudaram no socorro das vítimas.

Bombeiro /Foto: Manuela EscallaDiante destes questionamentos o site São Fidélis Notícias foi atrás de uma resposta para a população. Segundo a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro, a taxa de incêndio é uma obrigação tributária, prevista no Código Tributário do Estado do Rio de Janeiro e é exigida aos municípios abrangidos pelo sistema de prevenção e extinção de incêndios, tanto naqueles que possuem o serviço instituído pelo Estado, quanto nos municípios vizinhos, desde que as suas sedes distem até 35 km (trinta e cinco quilômetros) das sedes dos municípios em que o serviço esteja instalado.

corpo de bombeiros estradaMunicípios que não pagam a taxa podem estar além da distância mencionada acima. E de toda forma, são atendidos pelas viaturas dos quartéis mais próximos que, não necessariamente, é o de São Fidélis. Conforme definido em lei, a arrecadação é aplicada nas atividades do Corpo de Bombeiros tais como treinamento do pessoal, aquisição e manutenção de viaturas e equipamentos, projetos de prevenção e combate a incêndios, entre outros.

Sobre o atendimento às vítimas, a equipe de socorro envolvida avalia, caso a caso, a necessidade de solicitação de apoio de outras equipes ou até mesmo de outras unidades do Corpo de Bombeiros. corpo de bombeirosO que determina a quantidade de militares empenhados é o cenário da ocorrência.

Diante deste pronunciamento fácil e sem resposta concreta alguma, o São Fidélis Notícias persistiu com os questionamentos, até que nesta segunda-feira(22), recebemos a resposta que esperávamos. Em uma nova resposta a assessoria de imprensa informou que o Comando de Área (CBA IV – Norte Noroeste) confeccionou um relatório destinado ao Comando Geral indicando as necessidades e prioridades para substituição da frota. Ainda segundo a assessoria, São Fidélis vai receber uma nova viatura híbrida até o fim deste ano.

O São Fidélis Notícias vai aguardar para ter certeza que esta promessa será cumprida.

corpo de bombeiros estrada 3


Mais do SFn