quinta-feira , 8 dezembro 2016
camara de vereadores de aperibé

Após renúncia de Flávio, Aperibé possui um novo prefeito

APERIBÉ ENTRADA
Fotos:  equipe SFnotícias

O município de Aperibé está passando por diversos problemas na política nesses últimos anos. Diante das incertezas, o município agora possui um novo prefeito e está sem o vice-prefeito. A mudança começou após o então prefeito Flávio Gomes de Souza ter anunciado em um programa de radio no último domingo, que entregaria o cargo até essa terça-feira, o que exatamente aconteceu.

Por volta das 16h a Câmara Municipal de Vereadores de Aperibé recebeu a carta de renúncia do agora ex-prefeito Flávio Gomes de Souza e de Adimílson Jorge Bom, que era vice-prefeito. Instantes depois os vereadores começaram a preparar a cerimônia de posse do novo prefeito, que aconteceu na noite desta terça.

O então presidente da câmara Flávio Diniz Berriel, conhecido como “Dezoito”, foi empossado no cargo de prefeito. O ex-vice presidente Jairo Barbosa, passou a ser o novo presidente da Câmara de Vereadores, e Jhonata da Silva Fernandes Lopes, que recebeu 193 votos na última eleição, foi empossado como novo vereador do município.

“Não existe uma instabilidade política  no município. A transição ocorreu de forma perfeita. A população esteve presente e apoiou o prefeito que saiu e o prefeito que entrou. Na carta de renúncia o ex-prefeito alegou motivos particulares, mas tudo estava se encaminhando para a cassação dele e do vice. Então se evitou um problema maior”, disse o novo presidente da Câmara de Vereadores, Jairo Barbosa, em entrevista a nossa redação.

Jairo informou que nessas circunstância, o município fica sem vice-prefeito, e que o presidente da Câmara assume a prefeitura caso ocorra uma nova mudança.

Prefeito e vice de Aperibé são cassados

APERIBÉ PREFEITURANo dia 9 de dezembro de 2013, Flávio e seu vice,  Adimílson Jorge Bom, foram cassados pelo Colegiado do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, por conduta vedada a agente público e abuso do poder político. Com a cassação, eles também ficariam inelegíveis por oito anos, mas a decisão, caberia recurso ao Tribunal Superior Eleitoral. Até a votação do recuso, que aconteceu no dia 25 de agosto desse ano, os dois continuaram no poder através de uma limiar, mas o TSE decidiu manter o pedido de cassação.

O motivo para a decisão é uma festa realizada em 11 de maio de 2012, onde a Prefeitura de Aperibé distribuiu 1.150 cestas básicas, e fez sorteios  de dez aparelhos de televisão, duas geladeiras, oito ventiladores e dez liquidificadores. No mesmo ano eles foram reeleitos com 77% dos votos, e para o TSE, a festa teria comprometido o resultado das eleições no município. Além dos diplomas e dos direitos políticos, os dois também terão que pagar multa.

Após o julgamento do recuso, Flávio e Adimílson continuaram na prefeitura, esperando que a Câmara de Vereadores fosse notificada oficialmente pelo TSE.

SFn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *