Após temporal, Trajano de Moraes decreta calamidade pública Município registrou transbordamento de rios e deslizamentos de terra que atingiram casas. Em alguns pontos o volume de água foi tão grande que abriu crateras nas estradas e derrubou/levou a cabeceira de uma ponte

Município registrou transbordamento de rios e deslizamentos de terra que atingiram casas. Em alguns pontos o volume de água foi tão grande que abriu crateras nas estradas e derrubou/levou a cabeceira de uma ponte

Fotos: Defesa Civil

O município de Trajano de Moraes, na Região Serrana do Rio, decretou estado de calamidade pública nesta terça-feira (03/03) por conta da chuva do último fim de semana. Segundo a Defesa Civil, entre sábado e domingo o município registrou 95.4 milímetros, o começo de março mais chuvoso dos últimos anos. Segundo o decreto, a chuva destruiu um elevado número de pontes e estradas da zona rural, expondo a risco de isolamento comunidades inteiras, e consequentemente desabastecimento de grande contingente de pessoas. O temporal do final de semana elevou os níveis de cachoeiras, rios/córregos, provocou alagamentos, deslizamentos de terras e outros danos. (continua após o vídeo)

Ainda de acordo com a Prefeitura, entre os locais atingidos estão o distrito de Visconde de Imbé, Barra dos Passos, Serra das Almas, São Francisco de Paula entre outros. Além dos deslizamentos e alagamentos, o município registrou transbordamento de rios, quedas de árvores e de postes de iluminação pública. Em alguns pontos o volume de água foi tão grande que abriu crateras nas estradas e derrubou/levou a cabeceira de uma ponte. “Foi um volume acima do esperado. Não tínhamos previsão dessa chuva para nosso município. Agora o que temos que fazer é prestar solidariedade as famílias que infelizmente foram atingidas pelo temporal. Estamos buscando atender a todos. A Defesa Civil, a secretaria municipal de Obras e Serviços Públicos e a Guarda Municipal estão desde o dia de domingo atendendo aos chamados”, disse o prefeito Rodrigo Viana. Não há registro de desabrigados ou desalojados no município.

Mais do SFn