terça-feira , 19 março 2019

Apreensão de fuzis em investigação da morte de Marielle é a maior já feita no RJ As armas, todas novas, estavam desmontadas em caixas em um guarda-roupa na casa de um amigo do acusado de atirar na vereadora Marielle Franco

As armas, todas novas, estavam desmontadas em caixas em um guarda-roupa na casa de um amigo do acusado de atirar na vereadora Marielle Franco

Policiais civis encontraram 117 fuzis incompletos, do tipo M-16, na casa de um amigo do policial militar Ronnie Lessa no Méier, que é acusado de atirar na vereadora Marielle Franco e no motorista Anderson Gomes, no dia 14 de março de 2018.

As armas, todas novas, estavam desmontadas em caixas em um guarda-roupas – só faltavam os canos. Segundo o secretário de Polícia Civil, Marcos Vinícius Braga, esta é a maior apreensão de fuzis da história do Rio, superando a feita no aeroporto Internacional do Rio em 2017, quando 60 fuzis foram encontrados dentro de aquecedores de piscinas.

O dono da casa, Alexandre Mota de Souza, afirmou para os policiais que Ronnie, seu amigo de infância, entregou as caixas e pediu para guardá-las e não abri-las. Alexandre acabou preso por suspeita de tráfico de armas.


Mais do SFn