quinta-feira , 20 fevereiro 2020

Armas com defeito: TCE-RJ determina auditoria na Secretaria de Segurança do RJ Em Janeiro deste ano, mais um policial morreu após sua arma ter disparado acidentalmente

Em Janeiro deste ano, mais um policial morreu após sua arma ter disparado acidentalmente

Fotos: Edson Ferreira / Vinnicius Cremonez

Com base em denúncia de defeitos frequentes em pistolas e carabinas calibre ponto 40 da marca Taurus, adquiridas pelo governo do Estado, o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) determinou a realização de auditoria na Secretaria de Estado de Segurança para obtenção de informações mais detalhadas sobre a aquisição dos armamentos. De 2007 a 2013, o Estado pagou R$ 46,5 milhões para comprar 10.422 armas da marca. O Tribunal quer que os valores licitados sejam pormenorizados e que se apure o número de policiais mortos ou feridos em consequência de problemas no disparo do equipamento, além de saber que medidas foram adotadas pelas autoridades para corrigir o problema. De acordo com o relatório, uma vez confirmados os dados, há ameaça à integridade dos policiais e da sociedade. A decisão será comunicada ao Governador Luiz Fernando Pezão e o ex-secretário de Segurança José Mariano Beltrame será notificado para que apresente as razões de defesa por não ter suspendido o uso das armas.

O voto também registra o teste realizado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro em 55 pistolas da marca e por meio do qual foi demonstrado que 36 tiveram algum tipo de pane, o equivalente a 65% das armas. O documento também cita outros testes realizados pelo Batalhão de Operações Especiais no Estado do Paraná, em 2012, quando 100 das 500 pistolas postas à prova apresentaram pane. Ainda segundo o documento, a Polícia Militar do Estado de São Paulo recolheu todas as pistolas Taurus calibre ponto 40 em 2013, quando foram detectados problemas e as armas, encaminhadas para recall. Há informações também de que o Estado do Rio enviou parte das armas adquiridas à fabricante por apresentarem defeito no sistema de segurança.

O objetivo da auditoria é apurar o grau de eficiência dos armamentos, os registros de panes e as medidas adotadas para corrigir os problemas. O Tribunal também vai solicitar relatórios, testes e convocação para recall, entre outras medidas que foram tomadas para tratar eventuais defeitos apresentados por armas de fogo da marca.

Segundo a denúncia, a partir de 2006 começaram as notícias sobre incidentes com armas produzidas pela Taurus. A Corte de Contas verificou que de 2007 a 2013 foram firmados 11 contratos para a compra de pistolas, carabinas e metralhadoras da empresa Forjas Taurus. Todas as compras tiveram origem em atos de inexigibilidade e foram financiadas com recursos estaduais e federais. Dois destes contratos, celebrados em 2010 e 2013 pela Polícia Militar, respectivamente nos valores de R$ 14,9 milhões e R$ 4,9 milhões, não foram encaminhados ao TCE-RJ, contrariando deliberação do Tribunal.

O TCE-RJ também questiona diferença de R$ 8 milhões a mais entre o valor contratado (R$ 1,6 milhão) e o valor pago (R$ 9,6 milhões) em um dos contratos na compra dos equipamentos. Além disso, na análise das contratações verificou-se a existência de declaração do Ministério da Defesa informando que a empresa Forjas Taurus S/A é a única registrada no Exército Brasileiro autorizada a fabricar e comercializar as armas especificadas, entre as quais se encontram as pistolas calibre 40 e outros modelos.

No dia 30 de janeiro deste anos o subtenente Edvaldo Fernandes da Silva do 29º BPM de Itaperuna morreu após ter sido baleado por um tiro acidental disparado pela sua própria arma. Ele teria se desequilibrado e caído. Nesse momento, a arma do policial, uma pistola, acabou disparando acidentalmente. Reveja a matéria AQUI.

Em nota enviada para a redação do SF Notícias, a Taurus, fabricante da arma, disse que lamenta o ocorrido. A empresa disse que sempre que há alegação de disparo acidental é necessário realizar perícias para verificar a verdadeira causa do incidente.

“A companhia é a maior interessada em esclarecer quaisquer dúvidas sobre suas armas e informa que todas as perícias já realizadas seguindo as normas vigentes comprovam não haver falha ou defeito nos mecanismos de funcionamento e segurança das armas Taurus”, diz a nota. Baixe agora o aplicativo do SFn no seu celular! https://goo.gl/w4WvaY.

Mais do SFn