quarta-feira , 7 dezembro 2016
frente do Hospital /Manuela Escalla

Atendimento de saúde à população fidelense está garantido segundo secretário

Fotos: Vinnicius Cremonez
Fotos: Vinnicius Cremonez

Após o anúncio realizado no último dia (12) pela atual administração do Hospital Armando Vidal de que estaria entregando os serviços de urgência, emergência e maternidade ao poder público por não haver mais condições financeiras para mantê-los pelo baixos valores repassados pela prefeitura e pelo SUS, a sociedade ficou apreensiva pelas incertezas que ficaram no ar.

Nossa reportagem entrevistou o Secretário de Saúde de São Fidélis, Claudinei Bragança, que garantiu que a prefeitura assumirá os serviços caso necessário.

“Se for necessário, vamos assumir a urgência, emergência e a maternidade até por que isso é uma obrigação legal do município.” Disse o Secretário.  Ainda segundo o mesmo, existe ainda a possibilidade de negociação entre hospital e prefeitura para que a entidade cumpra o contrato que vai até 2016.

O procurador geral do município, entrou com um pedido de tutela coletiva no Ministério Público em Campos dos Goytacazes, onde durante uma reunião foi realizada, ficou decidido que o hospital deverá apresentar todas as suas planilhas de gastos para serem analisadas.  No próximo dia 18 haverá uma nova reunião entre as parte e o MP, e caso um acordo não seja firmado, o Ministério Público intervirá no hospital.

“Provavelmente iremos usar as instalações do hospital neste primeiro momento, até pelo curto prazo que o hospital nos deu, está é a melhor opção. Depois veremos a viabilidade de locação do hospital ou de outro prédio ou a té mesmo a construção de novas instalações. Também já temos um termo de ajustamento de conduta com a  Santa Casa em Campos onde poderemos fazer as internações e exames.”

documentos hospital 1

Na entrevista o Secretário também frisou que ficou surpreso com o comunicado de entrega dos serviços. Segundo o mesmo a relação com o ex presidente João Barroco, sempre foi excelente e um trabalho de parceria vinha sendo realizado, agora em menos de um mês em que o novo  presidente Nelson Navega assumiu o cargo toma esta atitude impensada. O secretário também ressaltou o respeito e a admiração que tem por todo o conselho deliberativo do hospital inclusive o atual e antigo presidente.

“Estamos fazendo o melhor que podemos para o hospital, mesmo com a determinação de reduzir todos os contratos em 30% devido a crise que o país vem enfrentado, não aplicamos esta redução a este contrato, através do governador conseguimos R$ 1 mi (Um milhão de reais) em equipamentos, trouxemos o governador a primeira dama e dois secretários de saúde para conhecer o hospital… Enfim estamos fazendo a nossa parte mas não temos mais dinheiro para colocar no hospital”, concluiu o secretário.

Relembre: Saúde em Colapso: Hosp. Armando Vidal entrega serviços de emergência e maternidade

Breve resumo:

1 – Em setembro de 2014 o hospital ameaçou entregar os serviços por não ter condições de mante-los pois os serviços de urgência, emergência e maternidade custariam R$100.000,00 por Mês.

2 – O ministério público intervem e chegou-se ao consenso de que a prefeitura por recursos próprios pagaria R$ 175.000,00 para os serviços de  urgência, emergência e maternidade,  e R$ 435.841,88 do MAC  (MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE AMBULATORIAL E HOSPITALAR)  que é um recurso do Governo Federal, totalizando um repasse de 610.841 mil de repasse por mês.

3- João Barroco Assume a presidência do Hospital.

4- Hospital e prefeitura fecham contrato até 31 de dezembro de 2016.

5-São realizados eventos em prol do hospital, novos serviços são adquiridos como o de Hemodialise, o hospital passar por pequenas reformas, começa-se a construção de novos leitos de UTI e hospital consegue inédita CND (Certificado negativo de débitos).

6- João Barroco pede afastamento da presidência por problemas de saúde entre outros.

7-Nelson Navega assume a presidência interina do Hospital.

8-Conselho Deliberativo decide entregar os serviços de urgência, emergência e maternidade a prefeitura.

A baixo Documentação apresentada pelo secretário de saúde do município.

 

SFn