sexta-feira , 14 dezembro 2018

Avaliado para o Ministério da Infraestrutura, general fidelense não foi o indicado por Bolsonaro Presidente eleito anunciou o ex-diretor do Dnit, Tarcísio Gomes, paro o cargo

Presidente eleito anunciou o ex-diretor do Dnit, Tarcísio Gomes, paro o cargo

Foto: Rafael Carvalho/Divulgação

O Gen. Ex. Joaquim Maia Brandão Júnior, natural de São Fidélis, não foi o nome escolhido pelo presidente eleito Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Infraestrutura. Brandão era cotado por estar ligado ao grupo do General Eduardo Villas-Boas, comandante do Exército.

Brandão trabalha com o General Sérgio Etchegoyen, atual chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) do governo Michel Temer. A informação de que ele era cotado foi dada ao Blog da Andréia Sadi, do G1, pelo vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão. “É excelente, é cotado. É da turma do Villas-Boas”, disse o vice eleito.

O indicado para a pasta foi o ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Tarcísio Gomes de Freitas. Bolsonaro fez o anúncio em sua conta no Twitter. “Boa tarde! Comunico em primeira mão a indicação do Sr. Tarcísio Gomes de Freitas, formado pelo Instituto Militar de Engenharia, Consultor Legislativo da Câmara Federal e ex-diretor do DNIT, ao Ministério da Infraestrutura”.


Mais do SFn