segunda-feira , 17 junho 2019

Avanço do mar: secretário estadual de Defesa Civil sobrevoa praias de Atafona, Guaxindiba e Gargaú Os primeiros relatos documentados do avanço do mar em Atafona são de 1959. Em seis décadas, pelo menos 15 ruas e diversas casas, comércios e outras construções foram destruídas

Os primeiros relatos documentados do avanço do mar em Atafona são de 1959. Em seis décadas, pelo menos 15 ruas e diversas casas, comércios e outras construções foram destruídas

O secretário estadual de Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, coronel Roberto Robadey Costa Júnior, sobrevoou na manhã deste domingo (24/03) o litoral de Atafona, em São João da Barra, além de Guaxindiba e Gargaú, em São Francisco de Itabapoana, para avaliar os danos causados pelo avanço do mar na região. Só neste final de semana, o mar derrubou 15 árvores e três postes (foto abaixo) na Praia de Guaxindiba, e mais três postes correm risco de queda.

“Quero agradecer demais ao coronel Robadey por vir ver de perto a situação caótica na nossa região. Atafona sofre há 60 anos com o avanço do mar e nosso objetivo é somar forças, tanto do ponto de vista estadual como federal, para conseguir viabilizar uma obra definitiva para solucionar esse problema”, disse o deputado estadual Bruno Dauaire, vice-presidente da Comissão de Defesa Civil da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

continua após a foto

Após o sobrevoo, o secretário classificou como “muito grave” a situação em Atafona. “O problema encontrado aqui é muito grave, de grandes proporções. Precisamos unir esforços e levar essa situação para a União, a qual vejo que seja a única capaz de dar uma solução definitiva para o problema de Atafona”, relatou Robadey.

Os primeiros relatos documentados do avanço do mar em Atafona são de 1959. Em seis décadas, pelo menos 15 ruas e diversas casas, comércios e outras construções foram destruídas. Entre 2013 e 2014 o Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH) chegou a garantir a viabilidade de um projeto, orçado entre R$ 130 e R$ 190 milhões, para a implantação de um “campo de espigões de rochas”, mas nada foi feito desde então.

“A solução do problema em Atafona é um sonho antigo dos moradores, que estão cansados de promessas. A visita do secretário é um exemplo de como temos que andar todos na mesma direção para buscar o melhor para a população. Também quero agradecer ao governador Wilson Witzel (PSC) por estar conosco nesta luta de todos os sanjoanenses”, declarou Bruno.

 


Mais do SFn