quarta-feira , 13 novembro 2019

Bombeiros mantém combate a incêndio em Área de Proteção em São Fidélis Vinte militares estão atuando no combate às chamas. Uma aeronave está sendo usada pelo segundo dia seguido

Vinte militares estão atuando no combate às chamas. Uma aeronave está sendo usada pelo segundo dia seguido

Fotos: Vinnícius Cremonez

Militares do Corpo de Bombeiros retomaram na manhã desta quarta-feira (11/09) a operação de combate a focos de incêndio na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio do Colégio, na zona rural de São Fidélis. Equipes do Corpo de Bombeiros atuam na região da Zona de Amortecimento do Parque Estadual do Desengano desde segunda-feira (09). Só nesta terça foram usados 20 mil litros de água no combate a focos na localidade de São Benedito, onde foi montado um posto de comando na fazenda de mesmo nome. Hoje o combate foi centralizado na região de Barra Alegre, para evitar que as chamas continuem avançando e se aproximando do Parque do Desengano. Pelo segundo dia seguido o Corpo de Bombeiros usa um helicóptero para levar água aos locais de difícil acesso. Além da aeronave, a operação envolve pelo menos dez viaturas entre caminhonetes para transporte dos militares, duas viaturas de água – um caminhão do Corpo de Bombeiros e um da prefeitura – e um caminhão de combustível para abastecer o helicóptero. Assim como ontem, 20 militares continuam atuando no combate às chamas nesta quarta. (continua após o vídeo)

Para controlar as chamas os bombeiros utilizam materiais e equipamentos operacionais, como bombas costais (bombas d’água que os bombeiros usam como uma mochila, nas costas, bombeando água por meio de uma pequena mangueira) e abafadores, além de outras ferramentas. Equipes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Ambiental e da Defesa Civil de São Fidélis também trabalham no combate. O helicóptero do Corpo de Bombeiros está usando um açude da fazenda para captar água para combater o fogo. O açude está sendo abastecido por um caminhão do Corpo de Bombeiros e um cedido pela Prefeitura. Ainda não se sabe como e onde o incêndio começou exatamente, e nem quem o provocou. Veja abaixo outras imagens feitas no local. Os bombeiros ainda não calcularam o tamanho da área afetada.

Mais do SFn