sábado , 10 dezembro 2016
Foto: Matheus Berriel
Foto: Matheus Berriel

Caçada aos Pokémons movimenta a cidade e une gerações em São Fidélis

pokemon4
Foto: Matheus Berriel

Desde o lançamento de Pokémon Go no Brasil, as ruas fidelenses não são mais as mesmas. Crianças, jovens e adultos dividem as calçadas e patrimônios da cidade atrás dos monstrinhos virtuais do jogo de realidade aumentada.

A maioria dos jogadores fica concentrados nas proximidades da agência da Ampla, na Avenida 7 de Setembro, ou na praça em frente ao prédio da Banda 22 de Outubro, na Avenida Paranhos, ambas no Centro, onde estão localizadas as duas PokéStop de São Fidélis, locais utilizados para conseguir itens necessários no jogo, como as pokébolas.

Em entrevista à equipe do SF Notícias, a jogadora Júlia Barcelos falou sobre os motivos que a levaram a jogar. Segundo ela, o jogo viralizou devido a sua fama e ao histórico que já tinha. “- Pokémon é lendário, não tem idade para jogar. O pessoal mais velho lembra da infância, eu acho que era o sonho de qualquer um ser um caçador pokémon” disse.

Foto: Matheus Berriel

O encontro de gerações é comprovado por Jaçanã e Priscila Quitar, respectivamente mãe e filha, que também são fãs do jogo e caçam juntas pela cidade. “- É uma coisa que está unindo as gerações, e isso está sendo bom, porque os jovens estão vindo para as praças, animando a cidade. Não é uma coisa que está prejudicando ninguém, embora muitas pessoas vejam com outros olhos, criticando. Eu acho que é uma coisa boa, não está fazendo nada de mais” ressaltou a mãe, enquanto acabava de capturar mais um pokémon ao lado da filha.

O alerta fica na questão de segurança, já que muitos acidentes já aconteceram em outras cidades devido à atenção exagerada dos jogadores nos pokémons, muitas vezes esquecendo-se do trânsito e de outros fatores que precisam ser observados.

 “Quanto a isso a gente fica preocupado. Tem que estar atento, avisar aos filhos que não fiquem andando no meio da rua que fiquem num lugar só pra evitar justamente isso”. – disse Jaçanã que como mãe se preocupa com os filhos e netos que jogam.

Ainda não é possível saber se Pokémon Go é um jogo que veio para ficar, ou se será apenas uma moda virtual momentânea. Porém, pelo menos nos próximos meses, a tendência é que os fidelenses continuem dividindo a atenção com os monstrinhos.

Por: Kariny Maia e Matheus Berriel

SFn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *