cemitério finados b

Cemitério cheio de visitantes e de problemas em São Fidélis

cemitério finados c
Fotos: Vinnicius Cremonez

Nesta segunda-feira (02/11), milhares de pessoas acordaram cedo para irem ao cemitério da cidade fazerem visitas aos túmulos de entes queridos.

Com o feriado de Finados, tradicional na igreja católica, os túmulos ganham flores e velas, em forma de cemitério finados alembranças dos que já se foram.

Diferentemente de muitos anos, hoje aquela tradicional chuva de finados deu lugar ao quente, e temperaturas passando dos 30 graus. Todos que foram ao cemitério tentavam se esconder do sol nas sombras feitas por alguns túmulos. Já outros, tentavam esconder aquilo que não queriam ver, o esgoto que invadiu vários túmulos.

Pois é, nem todas as pessoas ficam com uma sensação de conforto ao visitarem de São Fidélis. Em alguns casos, a falta de uma reforma adequada no cemitério acaba soando como um desrespeito com as famílias. Entre as reclamações, está um muro que ameaça a desabar na parte alta e o esgoto nos túmulos.

– Eu acho que se fosse drenado, tirava a água daí. O túmulo da minha família não está com água porque fina no morro. Mas vários túmulos, como o do meu amigo, estão com água. É triste. Tem gente aqui com túmulos de três gavetas, e fica só com uma, porque a água pega as duas de baixo. Aqui varia muito. Uns quatro túmulos, as vezes, não tem água. Aí mais na frente outros estão com água. Se drenar eu acredito que dê jeito. – disse o fidelense Durval da Silva, um dos vários que esteve no cemitério pela manhã.

cemitério finados eDurval e seu amigo foram visitar seus familiares que estão enterrados no local. O amigo de Durval já precisou enterrar quatro pessoas de sua família e, ao ir no cemitério acender velas em homenagem a eles, viu algo que não fez bem. O túmulo estava tomado pela água suja.

Eu não sei quem pode agir isso aí, mas tem que ter alguém que possa falar. Tem que dar um jeito pra tirar essa água. Creio que tenha jeito. – finalizou Durval, citando que falta um interesse maior do poder público em relação ao problema.

Os vendedores de flores também reclamaram, não de problemas no cemitério, mas do pouco movimento, do pouco faturamento em relação ao ano passado. Tentamos falar com o secretário de serviços públicos sobre o problemas relatados pelos moradores, mas até o fechamento dessa matéria, não obtivemos êxito.

SFn