Cheia do Rio Muriaé em Cardoso Moreira afeta mais de 6 mil pessoas e deixa famílias desabrigadas e desalojadas Com o comércio fechado, moradores não conseguem comprar água. A Cedae retomou o abastecimento no município, mas a situação é precária. Uma moradora de São Fidélis iniciou uma companha para arrecadar água

Com o comércio fechado, moradores não conseguem comprar água. A Cedae retomou o abastecimento no município, mas a situação é precária. Uma moradora de São Fidélis iniciou uma companha para arrecadar água

O nível do Rio Muriaé permanece acima dos nove metros em Cardoso Moreira. Diversas ruas do município estão inundadas, inclusive o Centro. O Rio Muriaé transbordou na cidade na madrugada de sábado, por volta das 2h, quando atingiu a cota de transbordo, que é de 8 metros. Nesse momento o nível está em 9,80 m, ou seja, 1.80 m acima da cota de transbordo. Quase 70% do perímetro urbano de Cardoso Moreira foi inundado. Desde às 20h da noite deste domingo (26) que o rio se mantem neste nível. Segundo a Defesa Civil, nesse momento o rio se estabilizou. Ruas do Centro, do Porto das Barcas, Palmeiras e do bairro Cachoeiro, próximo ao CIEP, foram as primeiras a serem inundadas. A Igreja Matriz, a Praça Central e o Estádio Municipal, que vinha sendo usado na seletiva do Campeonato Estadual, também foram inundados. (continua após a foto)

Everson Aguiar, morador de Cardoso, fez imagens aéreas mostrando a cheia no município. “Fiz essas imagens aéreas e pude observar nossa fragilidade em relação a natureza. Deus sempre no comando!”, postou ele em seu perfil em uma rede social. Ainda de acordo com a Defesa Civil, a cheia do Rio Muriaé está afetando quase 6 mil pessoas. “Temos aqueles que estão ilhados e não podem ter uma vida tranquila durante a cheia. Contabilizando os bairros e as ruas inundadas, temos uma média de 6 mil pessoas afetadas de alguma forma”, disse a Defesa Civil.  Na cidade, 74 famílias (161 pessoas) estão desalojadas e 63 famílias (187 pessoas) estão desabrigadas.  (continua após a foto)

Antes mesmo do rio transbordar, a prefeitura disponibilizou caminhões para fazer a retirada de móveis e pertences das famílias que vivem nas áreas mais afetadas. O ponto de apoio para os moradores das áreas atingidas na cidade é a Casa da Cultura. A Cedae chegou a interromper o abastecimento de água no município, mas já retornou de forma precária, já que a água está muito turva. Com o comércio fechado, os moradores não conseguem comprar água na cidade. Uma moradora de São Fidélis, Evellyn Dezedias, iniciou uma campanha para arrecadar água para as famílias de Cardoso Moreira. Quem puder ajudar doando mantimentos, itens de higiene pessoal e água deve entrar em contato com ela pelo telefone (22) 9.9928-9473. (continua após a foto)

O governador Wilson Witzel sobrevoou, na tarde deste domingo (26/01), os municípios do Norte e Noroeste do estado afetados pelo temporal neste fim de semana. Em Porciúncula, Witzel anunciou a descentralização de recursos para auxiliar as prefeituras e evitar novas enchentes. “São R$ 10 milhões para a Defesa Civil e R$ 10 milhões para a Secretaria de Desenvolvimento Social. Estamos aqui pra evitar que esse caos volte a acontecer novamente no ano que vem e trabalhar para que nós possamos atender, neste momento, as pessoas que estão precisando mais”, afirmou.

Mais do SFn