Cheia do Rio Muriaé: ruas de Cardoso Moreira e Italva permanecem inundadas Com o comércio fechado em Cardoso Moreira, moradores não conseguem comprar água. A Cedae retomou o abastecimento no município, mas a situação é precária. Uma moradora de São Fidélis iniciou uma companha para arrecadar água; veja como doar

Com o comércio fechado em Cardoso Moreira, moradores não conseguem comprar água. A Cedae retomou o abastecimento no município, mas a situação é precária. Uma moradora de São Fidélis iniciou uma companha para arrecadar água; veja como doar

Foto: Italva em Foco

As ruas dos municípios de Cardoso Moreira e Italva ainda continuam inundadas. Em Italva, o rio transbordou por volta das 21 horas de sexta-feira (24/01), quando ultrapassou a cota máxima de 4,33 m. O nível chegou em 5,38 metros na manhã desta segunda-feira (27), mas voltou a recuar. Na noite deste domingo o nível estava em 5,29 metros. Ele subiu novamente durante a madrugada e chegou aos 5.38 m, mas na última medição feita hoje ele havia recuado para 5,35 metros. Os bairros  mais atingidos são: Parque Industrial, Saudade, Boa Vista e Centro. A área comercial da cidade está inundada e o trecho urbano da BR-356 também. Muitos moradores não conseguem sair de suas casas. (continua após a foto)

No município vizinho, de Cardoso Moreira, o nível do Rio Muriaé continua subindo. Na primeira medição feita durante o dia ele estava em 9,80 m, mas o rio subiu e chegou aos 9.84 metros, quase dois metros acima da cota de transbordo. A cidade está em alerta máximo. Everson Aguiar, morador de Cardoso, fez imagens aéreas mostrando a cheia no município. “Fiz essas imagens aéreas e pude observar nossa fragilidade em relação a natureza. Deus sempre no comando!”, postou ele em seu perfil em uma rede social.  Ainda de acordo com a Defesa Civil, a cheia do Rio Muriaé está afetando quase 6 mil pessoas. “Temos aqueles que estão ilhados e não podem ter uma vida tranquila durante a cheia. Contabilizando os bairros e as ruas inundadas, temos uma média de 6 mil pessoas afetadas de alguma forma”, disse a Defesa Civil. Na cidade, 74 famílias (161 pessoas) estão desalojadas e 63 famílias (187 pessoas) estão desabrigadas (reveja AQUI). Uma moradora de São Fidélis, Evellyn Dezedias, iniciou uma campanha para arrecadar água para as famílias de Cardoso Moreira. Quem puder ajudar doando mantimentos, itens de higiene pessoal e água deve entrar em contato com ela pelo telefone (22) 9.9928-9473.

Mais do SFn