Chuva com vendaval e granizo, como ocorreu em S.Fidélis, são comuns nesta época, explica meteorologista Segundo ele, de novembro até meados de março, é um período bastante comum para ocorrência deste tipo de situação meteorológica na região

Segundo ele, de novembro até meados de março, é um período bastante comum para ocorrência deste tipo de situação meteorológica na região

Fotos: Reprodução/ redes sociais

Quando se trata da meteorologia, a primavera é marcada por fortes emoções. De acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), na estação, que este ano segue até o dia 22 de dezembro, as chuvas passam a ser mais intensas e frequentes, marcando o período de transição entre a estação seca e a estação chuvosa no Sudeste. Durante a primavera, têm início as pancadas de chuva no final da tarde ou noite, devido ao aumento do calor e da umidade. Também podem ocorrer raios, ventos fortes e queda de granizo. Foi o que aconteceu em São Fidélis no último sábado (23), quando o dia amanheceu com sol entre nuvens, mas a temperatura voltou a subir. Com a umidade disponível na atmosfera e o calor, além da passagem de uma frente fria, grandes áreas de instabilidade se formaram sobre o município (foto acima). “Nós estamos na primavera, que se trata de uma estação de transição para o verão, e é comum termos este tipo de evento de tempo, que nós chamamos de tempo severo, tendo em vista os impactos que ocasionam” – afirma o meteorologista da empresa Supercélula Monitoramento Hidrometeorológico, José Felipe Farias. E na “Cidade Poema” foram vários os impactos. (Continua após o vídeo)

Após cinco anos – o último registro de granizo na área urbana foi em 2014 – o fenômeno voltou a ser registrado na “Cidade Poema”. O temporal também veio acompanhado de fortes rajadas de vento, que destelharam casas em vários bairros; derrubaram dezenas de árvores na cidade, na zona rural e nas RJs 158 e 192; derrubaram outdoors; carregaram antenas e tampas de caixas d’água, além de parte da grade de proteção da Ponte Metálica. Moradores também ficaram sem energia elétrica, sem internet e sem sinal de televisão. “O evento que ocasionou transtornos na região se tratou de intensas áreas de instabilidade, com grande desenvolvimento vertical, tendo em vista a formação e queda de granizo, além da chuva forte e principalmente dos ventos intensos. A combinação de calor e alta umidade do ar faz com que as nuvens fiquem mais carregadas, e quando há desenvolvimento vertical (nuvens bastante elevadas verticalmente) acabam favorecendo a ocorrência de queda de granizo” – explica o meteorologista. O profissional ressalta ainda que novos temporais, inclusive com granizo podem voltar a ocorrer até o final da estação chuvosa. “De novembro até meados de março, mais ou menos é um período bastante comum para termos este tipo de situação meteorológica na Região Sudeste” – disse. Confira mais informações sobre o temporal registrado nos links abaixo:

Vídeo: Chuva com fortes rajadas de vento e granizo derruba árvores e destelha casas em São Fidélis
“Parece que foi um furacão”, diz motorista ao passar pela RJ-192 após chuva com vendaval e granizo em São Fidélis
Vídeo: Grade de proteção da Ponte Metálica desaba durante chuva com vendaval e granizo em São Fidélis

Mais do SFn