sexta-feira , 20 setembro 2019

Cia da Ideia

Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação

Oi Pessoal, como vocês estão? Muito frio, né?! Que delicia, eu particularmente adoro. Vamos esquentar a temperatura mexendo um pouco o corpo. Na coluna dessa semana vamos falar mais um pouquinho de dança. Minha amiga atriz e bailarina Andreia Evangelista me sugeriu contar um pouco da história da Cia de Dança de uma amiga professora muito querida nossa, a Sueli Guerra, referência no país. Vamos conhecer um pouquinho da Cia da Ideia. Chega mais!

Ao longo de sua carreira como bailarina, Sueli Guerra foi percebendo a necessidade de uma companhia com espaço aberto para a experimentação coletiva e compartilhamento de ideias, onde se pudesse inovar os modelos de concepção artística, principalmente na área de dança e teatro.dsc_0037

Deste modo, em 2005, ao lado de Jean Gama, foi fundada a Cia da Ideia. Seu primeiro trabalho, Estação Mumbai”, foi apresentado na Mostra de Cinema “Mostra o seu que eu mostro o meu” (RJ) e no “Painel Brasil” da Mostra de Vídeo-Dança / Dança Brasil (CCBB – RJ e DF). Nos anos seguintes, a dupla apresentou-se em vários teatros, como o Teatro do Jockey e o Teatro da UniverCidade, e participou de diversos eventos como o Festival de Dança de Londrina (PR) e o Festival Tápias (RJ).

A parceria de Sueli Guerra com Jean Gama tornou-se cada vez mais produtiva, resultando na criação de uma nova obra. Em 2006, surgiu o espetáculo “Estação”, criado em conjunto com os bailarinos Gisele Alvim, Tiago Sancho e Samuel Frare. Com esse espetáculo, a Cia da Ideia cresceu e consolidou-se, participando do Festival Internacional de Campinas ensaio-01-reduzido-030FevereFestival (SP), da Mostra UERJ de Dança e fazendo temporadas ao longo de 2006 e 2007 nos teatros Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro, Café Cultural, Sesc Tijuca, Sede da Cia. dos Atores e Teatro Cacilda Becker.

Em 2008, a Cia lançoou-se na pesquisa de um novo espetáculo, misturando bailarinos e atoresna busca por uma linguagem cada vez mais plural e orgânica, dando origem à “Jangada de Pedra”. Em junho desse ano, Participou da II Mostra Novíssimas Pesquisas Cênicas, realizadano SESC Tijuca pelo Centro de Estudo Artístico Experimental, coordenado por Ana Kfouri e, ainda em setembro de 2008, realizou curta temporada no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro na programação de aniversário do espaço cultural.

A partir de 2009, a Cia participou de diversos eventos com seus principaisensaio-01-reduzido-027 trabalhos: “Estação” foi para o Festival Dança Pará e Festival Tápias em 2009, e “Jangada de Pedra” participou do Festival Nacional de Dança do Cariri e ficou em temporada no Teatro Dulcina em 2011, além de participar do curta-metragem “Impulso”, dançando trechos do espetáculo “Estação”, entre outros eventos. Ainda em 2011, foi contemplada com o Fundo de Apoio à Dança – FADA, para montagem do projeto “Será!?”

Em 2012, estreou o espetáculo “Pequenas Peças”, inspirado no universo de Clarice Lispector, apresentado no Teatro do Jockey, no Teatro SESI Vitória (ES) e em duas temporadas no Teatro Dulcina, em 2013. Foi recém contemplado com o edital da SMC, Programa de Fomento à Cultura Carioca, a se realizar no ano de 2014.

ensaio-01-reduzido-082Também em 2012, inaugurou o Projeto “Será!?”, com apoio do Fundo de Apoio à Dança – FFADA, realizado em praças públicas e estações da SuperVia, divulgando a dança contemporânea pela cidade do Rio de Janeiro e, em 2013, como o apoio do PRÊMIO Funarte Artes Cênicas na Rua, o “Será?!” fez turnês também por São Paulo (SP) e Vitória (ES), além do Rio de Janeiro.

Seu mais novo trabalho, Batuque Contemporâneo, feito em parceria com o músico paulista Guga Machado, acaba de estrear em São Paulo, na Galeria Olido, e no Rio, no Teatro Dulcina. Uma obra divertidíssima, que traz a tona a alegria do povo brasileiro e seus batuques. A presença do percussionista Guga Machado, apresentou uma possibilidade das nossas brincadeiras e colorido – tão característico da nossa gente – o que fica claro nos corpos dos bailarinos, nos levando a um prazer, não somente pela técnica, ou mensagem que a Cia queira nos dar, mas também por um resgate da felicidade de ser batucante, persistentente, vibrante e alegre. ensaio-01-reduzido-034

A galera de Niterói aguarda ansiosa a vinda da Cia da Ideia e o seu Batuque Contemporâneo, e eles estão vindo! Dias: 15, 16 e 17 de Agosto, às 20hs, no lindo Teatro Popular de Niterói: Teatro Oscar Niemeyer, na rua Jornalista Coelho Neto.

Vamos batucar meu povo com a maravilhosa Cia da Ideia que está sempre presente nos palcos cariocas e do Brasil, dividindo-se entre apresentações de espetáculos do seu repertório e pesquisas de novos projetos, sempre questionando o modo de fazer artístico na dança e nas artes cênicas em geral e buscando uma nova reflexão sobre a sociedade contemporânea.

MUITO SUCESSO para companhia, e para as minhas queridas Andreia Evangelista e Sueli Guerra. Um grande beijo e até semana que vem!!

dsc_9789

Mais do SFn