quarta-feira , 13 novembro 2019

Ciclovia é improvisada entre a Vila dos Coroados e o Centro, em São Fidélis Em 2015, uma ciclista morreu atropelada por um caminhão da Prefeitura de São Fidélis. Na ciclovia improvisada, foi feito um caminho beirando a linha férrea

Em 2015, uma ciclista morreu atropelada por um caminhão da Prefeitura de São Fidélis. Na ciclovia improvisada, foi feito um caminho beirando a linha férrea

Já mostramos aqui, por diversas vezes, as dificuldades enfrentadas por moradores da Vila dos Coroados, da Gamboa ou do Centro que precisam pedalar pela Rua Dom Licínio Rangel, antiga Duque de Caxias. Uma rua estreia por onde passa todo o trânsito da RJ-158 e o trânsito urbano, já que é a única ligação entre os bairros citados, assim como única ligação entre o Centro de São Fidélis e algumas localidades rurais. A Prefeitura de São Fidélis, na gestão passada, prometeu a construção de uma ciclovia, mas até hoje, essa promessa não saiu do papel. Cansados de esperar por uma atitude do poder público, moradores se uniram e improvisaram uma ciclovia. (continua após a publicidade)

Isso mesmo. Moradores improvisaram uma ciclovia indo da Vila dos Coroados ao Centro, algo que o poder público não conseguiu fazer. O SF Notícias ainda não conseguiu identificar de quem partiu a ideia, mas na semana passada, segundo relatos de moradores, havia pelo menos cinco pessoas empenhadas em limpar o local. Foi feito um caminho beirando a linha férrea. No percurso, que começa próximo de um posto de combustíveis e termina na entrada do Barreiro, foram feitas duas passagens de nível, uma espécie de pequena ponte, improvisadas. O caminho precisa de atenção, já que foi feito na terra e possui a presença de pequenas pedras usadas entre as dormentes da linha de trem, mas é uma opção para quem não quer se arriscar entre os veículos, ondulações e buracos da Rua Duque de Caxias. Aqueles que preferirem também podem continuar beirando a linha férrea até a Paróquia de Nossa Senhora Aparecida e São Fidélis, saindo na Avenida Sete de Setembro. Mas atenção, como mostra a imagem no final, o caminho é só para ciclistas. (continua após a publicidade)

Considerado o sétimo município onde a população mais anda de bicicleta no Brasil, São Fidélis não possui nenhuma estrutura para oferecer aos ciclistas. “Precisamos contar com a sorte de não sermos atropelados e conseguir concluir esse trajeto que é horrível. Tem carretas e ônibus que passam bem próximo da gente. Parece que vão passar por cima. Somos obrigados a jogar a bicicleta contra o barranco para tentar escapar”, disse uma ciclista. Em 2015, Nazaré Aparecida Klein não conseguiu completar o trajeto. Ela morreu atropelada por um caminhão da Prefeitura de São Fidélis. Nazaré havia acabado de deixar uma de suas filhas em uma creche no bairro Vila dos Coroados, e seguia em sua bicicleta para o Centro do município, quando foi atingida pelo caminhão.

 

Mais do SFn