segunda-feira , 22 outubro 2018

Coluna Vip: Carnaval é Cultura e Crítica Moradores de Cambuci participam do desfile da Paraíso do Tuiuti, no Rio

Moradores de Cambuci participam do desfile da Paraíso do Tuiuti, no Rio

Fotos: reprodução

A escola de samba Paraíso do Tuiuti, após colocar “manifestoches” e um vampiro com a faixa presidencial no sambódromo – que levou a plateia aos gritos de “Fora Temer” – em um desfile histórico, fazendo uma dura crítica social e política ao desfilar tendo como enredo a escravidão em pleno século XXI – sendo um dos assuntos mais comentados na internet em todo o mundo – ganhou o titulo de vice campeã do Carnaval Carioca, levando a internet à loucura com o segundo lugar, mas com sabor de primeiro no Carnaval 2018.

A escola de São Cristóvão levantou as arquibancadas e quebrou as redes sociais com o enredo “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, de Jack Vasconcelos. A escola contou a história da escravidão no Brasil e criticou as relações de trabalho na país. O primeiro lugar ficou com a Beija-Flor de Nilópolis. Para internautas, a agremiação foi a “campeã moral” do carnaval 2018.

O intérprete, Nino do Milênio, que estreou este ano à frente de uma escola do Grupo Especial após quatro anos na Inocentes de Belford Roxo, não conteve a emoção.

— O Brasil abraçou nosso samba, que fala de injustiça social, de escravidão, de leis trabalhista. Nosso samba está sendo falado até nos Estados Unidos — afirma o intérprete de apenas 28 anos.

Os Cambucienses Júnior Gabril e Petito Macieira estiveram presentes no Sambódromo da Marquês de Sapucaí, fazendo parte deste desfile histórico no Carnaval Carioca.

Na foto: Júnior Gabriel e Petito Macieira

Mais do SFn