terça-feira , 21 novembro 2017

Com a cidade em emergência pela seca, fiéis vão percorrer ruas de São Fidélis clamando por chuva Nos últimos quatro meses foram registrados apenas 42.07 mm de chuva, um volume bem abaixo da média para este período que é de 153,39 mm

Nos últimos quatro meses foram registrados apenas 42.07 mm de chuva, um volume bem abaixo da média para este período que é de 153,39 mm

Animais estão morrendo com fome e sede

Sendo um dos municípios que mais sofre pela estiagem deste ano, São Fidélis ainda não se recuperou totalmente da forte seca de 2014, sendo a pior da história da cidade.

Diante de tanto sofrimento e perdas, fiéis da Paróquia de São Fidélis de Sigmaringa, padroeiro da cidade, e da Paróquia de Nossa Senhora Aparecida, vão percorrer as ruas neste domingo clamando por chuva. As igrejas também convidaram toda a população para participar da procissão, que ocorrerá às 19h, após a missa da Igreja Matriz.

Neste ano, segundo dados da prefeitura, já morreram mais de 120 animais, quase o mesmo total de 2014, quando morreram um pouco mais de 150. Nos últimos quatro meses foram registrados apenas 42.07 mm de chuva, um volume bem abaixo da média para este período que é de 153,39 mm.

Senhor, escuta com bondade as orações que são dirigidas com confiança pela Tua Igreja, como satisfizeste as súplicas do profeta Elias que intercedia em favor do Teu povo faz cair do céu sobre a terra árida a chuva desejada a fim de que renasçam os frutos e sejam salvos homens e animais. Que a chuva seja para nós o sinal da Tua graça e da Tua bênção. Venha participar conosco!“, postou o Padre Wallace Azevedo em seu perfil em uma rede social.

continua após a foto

Segundo dados apresentados em decretos de emergência devido à seca por municípios das regiões Norte e Noroeste Fluminense, mas de 15 mil animais morreram com fome e sede em decorrência da seca desse ano. Os municípios de Bom Jesus do Itabapoana, Itaocara, Laje do Muriaé, MiracemaSanto Antônio de Pádua, CambuciCardoso Moreira ,  ItalvaItaperuna, Natividade,  São José de Ubá, São João da Barra e Varre-Sai decretaram situação de emergência, assim como São Fidélis.

Abastecimento de água

Rio Paraíba cheio de pedras

O baixo nível dos rios Paraíba do Sul, Macuquinho, Pomba, Muriaé, Carangola e Itabapoana, que abastecem os municípios da região, levou a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) a reduzir o abastecimento de água em Miracema, Varre-Sai, Macaé e Porciúncula, além de CantagaloCordeiro e Duas Barras.

Em São Fidélis e Cardoso Moreira, algumas localidades da zona rural estão sendo abastecidas com caminhão pipa. Em São Fidélis o problema afeta Cambiasca, Tabua, Penedo e Esperança.

Queimadas 

As queimadas também castigam os municípios. Em São Fidélis, o Destacamento do Corpo de Bombeiros é acionado todos os dias para combater um foco de incêndio, assim como em outras cidades da região. Só em Miracema, aproximadamente 1.500 hectares já foram destruídos por incêndios.

O último incêndio na região foi registrado nesta quinta-feira (02/11) em Cambuci, onde uma grande área de vegetação foi destruída. Bombeiros de São Fidélis e que estavam de folga foram deslocados para o município. Reveja a matéria AQUI.

continua após a foto 

Segunda vez em emergência devido à seca

Essa é a segunda vez que São Fidélis decreta situação de emergência pela estiagem. Em 2014, foi detectado pela Emater-Rio um impacto iminente no aumento da perda no peso e índice reprodutivo do gado de corte e leiteiro (pecuária) estimado em 30%. Já um levantamento da prefeitura mostrou que a zona rural foi completamente afetada, com estimativa de 80% dos produtores atingidos, e perdas de aproximadamente 40% na produção leiteira e 30% de perda na lavoura e produção agrícola.


Mais do SFn