Com apenas 18 anos, moradora de Ipituna lança música autoral e faz sucesso com shows pela região Larissa Azevedo tem grande influência do sertanejo e também já lançou um cover da música "Ciumeira", de Marília Mendonça

Larissa Azevedo tem grande influência do sertanejo e também já lançou um cover da música "Ciumeira", de Marília Mendonça

Fotos: Arquivo pessoal

Com apenas 17 anos, ela começou a cantar com o primo em um restaurante de Macuco, e já encantava o público com seu talento. Larissa Azevedo, agora com 18 anos, nasceu em São Gonçalo, mas desde os 7 anos mora no distrito de Ipituna, em São Sebastião do Alto. Recentemente, a jovem cantora lançou uma música autoral e segue fazendo sucesso com apresentações pela região.

“Eu sempre gostei de cantar, mas sempre fui tímida. Depois que comecei a estudar em Itaocara, no primeiro ano do ensino médio, comecei a cantar nas apresentações do colégio. As pessoas me elogiaram muito, com isso decidi cantar profissionalmente. Montei uma banda “entre amigos”, mas ela já se desfez, durou 4 meses” – disse a jovem em entrevista ao SF Notícias.

Larissa até pensou em desistir, mas decidiu ir em busca de seu sonho. Ela conta que conheceu pessoas maravilhosas, como o Jean e Pablo, o Tchow, que é da produção do Junior e Gustavo. “Eles me ajudaram e me ajudam até hoje na produção dos meus shows” – relata a cantora. Larissa já se apresentou em Itaocara, Pádua, São Sebastião do Alto, Cambuci, Pureza, Pirapetinga, Jaguarembé e Italva. 

A jovem também fez um cover da música “Ciumeira” da Marília Mendonça. Ela diz ser fã da cantora e sonha em conhecê-la. Apesar da grande influência sertaneja, de cantores Gusttavo Lima, Naiara Azevedo, Zé neto e Cristiano e Eduardo Costa, seus shows são ecléticos e também contam com forró, funk e rock.

“Octógono”

A primeira música autoral surgiu de uma forma engraçada, conforme relata a cantora. “Eu fiz ela dentro de um caminhão em 2017, a caminho de Friburgo. Eu, meu pai e meu tio estávamos conversando sobre a música e decidi criar uma naquela hora. A princípio eu mandei pra um amigo e falei “olha isso, vou apagar já já”. Aí ele gostou da música “Octógono” e o Marcelo da banda Tchê Malucos, que tem um estúdio em Campelo, ajeitou os arranjos e deu harmonia a letra. Uma semana antes do carnaval a gente lançou ela no youtube” – relata.

Nas próximas semanas, Larissa deve lançar mais uma música, chamada “Chifre pesado”, com composição de Adedier Brito, e um novo clipe de música cover da dupla Zé Neto e Cristiano.

Relação com a música

A cantora afirma que a música se tornou sua melhor escolha, um refúgio e muitas vezes, a forma de demonstrar seus sentimentos. “A música pra mim é tudo! A sensação que sinto tendo um feedback das pessoas que vão aos meus shows, gostam e dançam, é incrível, sinto que está valendo a pena dar o meu melhor e nunca vou desistir do meu sonho. Busco proporcionar ao meu público alegria, por mais que eu não esteja em um dia bom, o palco e as pessoas envolvidas no meu trabalho tem o poder reverter tudo, eu fico muito feliz”.

O sonho de ser uma cantora profissional é evidente, mas Larissa não desistiu dos estudos. Como não há faculdade de música na região, ela está cursando Direito, curso pelo qual ela se apaixonou e pretende seguir, mas, se pudesse, ela afirma que daria prioridade para a música.


Mais do SFn