asdfghfgjyj

Com epidemia de Dengue, Cantagalo mobiliza profissionais de saúde e sociedade

sqsdfguiiupoi
Fotos: Gilmar Marques

O último sábado, 5 de março, foi reservado em Cantagalo para um grande movimento de conscientização da população sobre os riscos, as formas de prevenção e combate ao mosquito aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, febre chikungunya e zika vírus, que vêm assustando o país e o mundo do final do ano passado para cá.

O ‘Dia D’ mobilizou os profissionais de saúde e todas as oito unidades da Estratégia de Saúde da Família (ESF), que cobrem 100% do território do município. De acordo com a secretária municipal de Saúde, Vânia Huguenin, a intenção foi provocar um movimento descentralizado, o que deu certo e conseguiu chamar a atenção de quem passava para a seriedade com que se deve encarar a situação.

“Como o nosso município é muito grande, no que diz respeito à extensão territorial, decidimos descentralizar as ações e promover um movimento simultâneo em cada área atendida pelas unidades de saúde. Ou seja, ao mesmo tempo, todas as unidades promoveram distribuição de material informativo, abordagem dos transeuntes, orientações sobre o ciclo biológico do mosquito, orientações sobre como evitar a proliferação e como combater nos casos em que haja foco, peças teatrais, músicas, caminhada, apitaço”, disse a secretária.

qwertyyuiuouipNo Centro da cidade, a concentração ocorreu na Praça Zilda Estorani Guzzo, em frente ao bairro Felipe João, onde se reuniram as quatro unidades de saúde que atendem o primeiro distrito: Djalma Dantas de Gusmão (Centro), Dr. João Nicolau Guzzo (Triângulo), Dr. Jorge Roberto Vieira de Barros (São José) e Manoel Francisco de Paula Bon (Santo Antônio). A passeata seguiu até a Praça Cônego Crescêncio Lanciotti, a Praça da Matriz, onde também os profissionais de saúde dirimiram uma série de dúvidas a respeito das doenças e do ciclo biológico do mosquito.

Uma peça teatral adaptada foi apresentada ao público, também informando, de forma bem didática, como se contribui para a criação do mosquito e as formas de se evitar que ele se instale e dissemine as doenças.

NOTIFICAÇÕES

Até sexta-feira da semana passada, 4 de março, foram registrados 952 notificações, o que já se caracteriza como uma epidemia. O maior número de notificações – 302 – está na área da unidade de saúde Manoel Francisco de Paula Bon, que abrange a parte baixa do bairro São José, além dos bairros Santo Antônio, São Pedro I e São Pedro II, São João, Parque das Árvores e adjacências. As demais notificações estão assim distribuídas: Alto São José (188), Djalma Dantas de Gusmão, que engloba o Centro da cidade (100), João Nicolau Guzzo, no bairro Triângulo e adjacências (186), Boa Sorte, quinto distrito (22), Euclidelândia, terceiro distrito (32), Santa Rita da Floresta, segundo distrito (111) e São Sebastião do Paraíba, quarto distrito (11).

Fonte: Ascom

SFn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *