quinta-feira , 25 abril 2019
Fotos: Reprodução/ SF Notícias/ Agência Brasil

Com prisão de Moreira Franco, chega a 5 o número de ex-governadores do Rio presos Apenas Pezão foi preso ainda durante o mandato; Dois ex-governadores recorrem em liberdade

Apenas Pezão foi preso ainda durante o mandato; Dois ex-governadores recorrem em liberdade

Com a prisão de Moreira Franco, ocorrida nesta quinta-feira (21/03) em mais um desdobramento da Lava Jato, o Estado do Rio soma cinco ex-governadores que já foram ou estão presos. Sérgio Cabral, Anthony Garotinho, Rosinha Matheus e, agora, Moreira Franco foram presos quando já não eram mais governadores. Já Luiz Fernando Pezão foi preso no final de seu mandato, em novembro do ano passado.

Cabral foi preso em 2016 na Lava Jato e Operação Calicute. Sua pena já soma mais de 198 anos de prisão, por crimes como corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa e evasão de divisas.

Anthony Garotinho foi preso em novembro de 2016, quando era secretário de Governo de Campos, na Operação Chequinho, que apura o uso do programa social Cheque Cidadão para compra de votos no município. Já em setembro de 2017, ele  teve prisão domiciliar decretada e foi detido por agentes da Polícia Federal enquanto apresentava um programa de rádio. Ele foi acusado pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) de comandar um esquema que trocava votos pela inclusão de famílias em um programa social de Campos, o “Cheque Cidadão”.

Fotos: Reprodução/ Globo News

A prisão foi revogada, mas em novembro do mesmo ano ele voltou a ser preso, desta vez, com a esposa, Rosinha, também ex-governadora do Rio. Segundo a Polícia Federal (PF), eles foram acusados da prática dos crimes de corrupção, concussão, participação em organização criminosa e falsidade na prestação das contas eleitorais. O casal faria parte de uma organização criminosa que arrecadava recursos de forma ilícita com empresários para financiar as próprias campanhas e a de aliados, inclusive mediante extorsão. Ambos foram soltos e recorrem em liberdade.

Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

Preso ainda durante o mandato, Pezão recebeu voz de prisão no Palácio Laranjeiras, residência oficial. Segundo as investigações, o governador integra o núcleo político de uma organização criminosa que, ao longo dos últimos anos, cometeu vários crimes contra a Administração Pública, com destaque para a corrupção e lavagem de dinheiro, segundo a Procuradoria-Geral da República.

Já Moreira Franco foi preso pela Lava Jato no Rio, que também tinha como alvo o ex-presidente Michel Temer. A operação identificou organização criminosa que atuou na construção da usina nuclear de Angra 3, praticando crimes de cartel, corrupção ativa e passiva, lavagem de capitais e fraudes à licitação.

Segundo o Ministério Público Federal, são apurados crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro, em razão de possíveis pagamentos ilícitos feitos por determinação de José Antunes Sobrinho para o grupo liderado por Michel Temer, bem como de possíveis desvios de recursos da Eletronuclear para empresas indicadas pelo referido grupo.


Mais do SFn