segunda-feira , 18 novembro 2019

Como a Internet 5G Vai Mudar seus Hábitos Online? Há muita curiosidade envolvendo a nova geração de conexão sem fio, o 5G. Se você também tem interesse nessa nova tecnologia, esse artigo foi feito especialmente para você: leia, aqui, alguns dos principais aspectos, novidades e desafios da tecnologia 5G.

Há muita curiosidade envolvendo a nova geração de conexão sem fio, o 5G. Se você também tem interesse nessa nova tecnologia, esse artigo foi feito especialmente para você: leia, aqui, alguns dos principais aspectos, novidades e desafios da tecnologia 5G.

O que é a tecnologia 5G?

O 5G é a Quinta Geração da conectividade de dispositivos móveis representa e é considerada como o futuro da telecomunicação. Huawei, Samsung, Ericsson e Nokia são algumas das empresas que já comercializam aparelhos com tecnologia 5G ou software compatível com a tecnologia.

A maior parte dos equipamentos móveis (smartphones, celulares, tablets, etc.) ainda utiliza tecnologias das gerações anteriores, como 3G e 4G. Assim, a tecnologia 5G ainda pode ser considerada como uma inovação em processo de testes e estudos, uma “transição em andamento”.

Muitos aspectos do 5G ainda são especulação e essa é uma tecnologia em desenvolvimento. Mas é possível afirmar, sem sombra de dúvidas, que a velocidade e a capacidade de enviar e receber dados será radicalmente acelerada e potencializada com essa alteração, favorecendo a dinamização e a portabilidade das telecomunicações.

Da mesma forma, o 5G também começa a mostrar vários desafios e dilemas.

A corrida pelo 5G

Aliás, essa é uma tecnologia que vem sendo desenvolvida há um tempo considerável. Já em 2012, o governo do Reino Unido deu 35 milhões para financiar pesquisas de desenvolvimento de recursos 5G realizadas na University of Surrey.

O governo chinês também tem investido quantias consideráveis para construir recursos próprios da tecnologia 5G. Os chineses já declararam que essa é uma “tecnologia chave” em seu 13º Plano Quinquenal.

Na Coreia do Sul, a Samsung conseguiu realizar transferências de dados com fluxo de 1gb por segundo, utilizando a velocidade 5G. Em 2013, a empresa divulgou a conclusão do desenvolvimento do primeiro sistema 5G do mundo, com uma velocidade máxima de várias dezenas de gigabits por segundo – a velocidade de transferência era de 1.056 gigabits por segundo para um alcance de até 2km.

Os EUA também estão buscando garantir sua soberania para as telecomunicações baseadas nessa estrutura, principalmente por conta das recentes guerras econômicas contra a China – envolvendo, especialmente, questões de tecnologia e telecomunicações.

O Japão quer terminar de estruturar sua rede nacional de 5G antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio de 2020. Quem dominar o 5G vai dominar grande parte das estruturas de comunicação.

É uma corrida contra o tempo e isso já demonstra o quanto esse elemento é indispensável para os países que quiserem entrar na nova fase da globalização.

As principais vantagens

Com o que já está disponível sobre o 5G, é possível destacar algumas vantagens da tecnologia em contraste com as gerações anteriores (3G e 4G). A mais explícita é a maior velocidade, com taxas de velocidade de 1Gb por segundo.

De acordo com o The Wall Street Journal, fazer o download de uma playlist que pode demorar até 7 minutos com 3G e 20 segundos com o 4G levaria aproximadamente meros 0,6 segundos (0.14% do tempo necessário para baixar com 3G e 3% do tempo para fazer o download com 4G).

Para citar mais um exemplo, para baixar o jogo Fortnite (com um tamanho aproximado de 5Gb) usando uma conexão 4G, são gastos, em média, 14 minutos. Com o 5G, esse tempo cai para meros 24 segundos (2.8% do tempo total que é necessário para baixar o arquivo usando o 4G).

Isso vai dinamizar imensamente a capacidade de enviar e receber dados e, claro, oferecer muito mais potência para realização de streamings e transmissões ao vivo, por exemplo. Maior velocidade significa maior rapidez para receber dados, o que representa uma economia significativa no uso da bateria dos dispositivos móveis.

Os principais riscos

Durante o Mobile World Congress realizado esse ano, em Barcelona, várias empresas e operadoras de telecomunicação mostraram preocupação com questões relativas à segurança.

Com velocidades cada vez maiores e mais pessoas conectadas por mais tempo, os ataques também vão ser mais rápidos e, logicamente, mais frequentes e disseminados. As possibilidades de usos de proxies online, por exemplo, podem aumentar muito.

Um proxy online é um intermediário entre o usuário e os recursos de outros servidores. Muitos desses recursos funcionam como verdadeiras armadilhas, como o comprometimento da segurança da conexão e até mesmo redução da velocidade de navegação.

Na verdade, os riscos têm mais a ver com a quantidade crescente de dispositivos e pessoas conectadas o tempo inteiro do que com a estrutura do 5G em si. Com bons comportamentos online e certas precauções (como o uso de um bom firewall, um ótimo antivírus, a manutenção das atualizações de apps e sistemas em dia e o uso de uma boa VPN) esses riscos diminuem drasticamente.

O 5G será, em grande parte, aquilo que os usuários fizerem dele. Em boas mãos, essas inovações são sempre muito positivas – e cabe aos usuários conscientes (e às empresas, é claro) aprender da melhor forma sobre como evitar os riscos oferecidos por quem não tem intenções tão boas assim.

Mais do SFn