Conselho estuda revisão na Zona de Amortecimento do Desengano entre Campos, S.Fidélis e Madalena Este ano, o Parque Estadual do Desengano, que fica entre as três cidades, completará 50 anos de criação

Este ano, o Parque Estadual do Desengano, que fica entre as três cidades, completará 50 anos de criação

Fotos: Vinnicíus Crremonez

Entidades e grupos representativos – incluindo a sociedade civil – que fazem parte do Conselho Consultivo do Parque Estadual do Desengano estão debatendo uma revisão no plano de manejo do PED. Ao SF Notícias, o gestor do Parque, Carlos Dário, disse que o que está sendo discutido é uma revisão na Zona de Amortecimento (ZA) do Parque. Essa área é responsável por filtrar os impactos negativos das atividades que ocorrem ao redor dele, como ruídos, poluição, espécies invasoras e avanço da ocupação humana. Só o Parque do Desengano possui 24.400 hectares, e a Zona de Amortecimento, outros 22.400 hectares entre as três cidades onde o PED se estabelece: Campos, São Fidélis e Santa Maria Madalena. (continua após a foto)

Em São Fidélis, por exemplo, a Zona de Amortecimento chega ao perímetro urbano, e com isso, alguns moradores encontram dificuldades ao fazer um pedido de ligação de energia elétrica na concessionária responsável pelo fornecimento. O atual plano está em vigor desde 2005, e o novo deve estar pronto até março desse ano. “A área de preservação é intocável! Estamos debatendo a Zona de Amortecimento. Retirar áreas de pastos e incluir áreas de floresta. Cabe sempre ressaltar que a Zona de Amortecimento possui muito menos restrições que a área do Parque”, disse o gestor Carlos Dário. Em dezembro do ano passado aconteceu, em São Fidélis, uma reunião da Comissão de Direito Ambiental da OAB do município, que participa da discussão sobre a revisão da ZA. O Parque foi criado em 13 de abril de 1970, e neste ano estará completando 50 anos de existência.

Mais do SFn