segunda-feira , 21 outubro 2019

Conta fica mais cara: Anatel reajusta tarifas da telefonia fixa A direção da Anatel também definiu o reajuste de cartões de telefones públicos, mais conhecidos como “orelhões”. A modalidade mais simples, de 20 créditos, passará a custar R$ 2,66

A direção da Anatel também definiu o reajuste de cartões de telefones públicos, mais conhecidos como “orelhões”. A modalidade mais simples, de 20 créditos, passará a custar R$ 2,66

Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) autorizou o reajuste dos planos básicos de telefonia fixa nas modalidades local e longa distância nacional (interurbano) pelas concessionárias do serviço (Oi, Telefônica, Claro, Sercomtel e Algar). Os aumentos foram aprovados pelo Conselho Diretor da Anatel nesta quinta-feira (11/07). Os percentuais de reajustes das concessionárias variam de 0,73% a 6,76%.

Também foi reajustado o valor do cartão de orelhão. O cartão indutivo mais simples, de 20 créditos, agora custa R$ 2,66. Foram aprovados os seguintes reajustes: Sercomtel (6,763%), Algar (0,733%), Telefônica (4,944%), Claro (6,092%) e Oi (6,052%). As concessionárias Sercomtel, Algar, Telefônica, Claro e Oi solicitaram o aumento das tarifas à Agência. Segundo a Resolução 426/2005, as concessionárias podem solicitar reajuste a cada 12 meses.

Pela decisão do Conselho Diretor da Anatel, o reajuste ficará em 6% para a Oi (ligações locais em todo o país, à exceção de São Paulo), 4,9% para a Telefônica (ligações locais no estado de São Paulo), 6% para a Claro (chamadas de longa distância), 6,7% para a Sercomtel (ligações locais em cidades do Paraná) e 0,7% para a Algar (ligações locais em nove estados, especialmente no Centro-Oeste e Sudeste).

Mais do SFn