Covid-19: Prefeitura de Campos decreta emergência em saúde e determina fechamento do comércio Até o momento, município tem 13 casos suspeitos da doença, sendo que quatro pacientes estão internados em estado grave

Até o momento, município tem 13 casos suspeitos da doença, sendo que quatro pacientes estão internados em estado grave

Forças de segurança orientam donos de bares e restaurantes. Foto: Rafael Peixoto

A Prefeitura de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, decretou emergência em saúde no município em decorrência do coronavírus. O prefeito Rafael Diniz também determinou o fechamento do comércio, suspendendo, temporariamente, o atendimento presencial em estabelecimentos comerciais. O objetivo da medida é evitar aglomerações e vale a partir da próxima segunda-feira (23/03), até o dia 5 de abril, e inclui bares, restaurantes e estabelecimentos similares. A Prefeitura também proibiu o corte do fornecimento de água da concessionária Águas do Paraíba por tempo indeterminado, e definiu ainda que, enquanto durarem as medidas mais severas de controle do coronavírus, a população poderá aumentar em até 15% sua média mensal de consumo de água sem que haja cobrança a mais. (continua após a publicidade)

Farmácias, hipermercados, supermercados, mercados, feiras livres, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas e centros de abastecimento de alimentos, lojas de conveniência, lojas de venda de alimentação para animais, distribuidores de gás, lojas de venda de água mineral, padarias, postos de combustível e bares e restaurantes que funcionem no interior de hotéis, pousadas e similares (apenas para hóspedes e colaboradores) estão fora da medida. De acordo com o Decreto, os estabelecimentos comerciais deverão manter fechados os acessos do público ao seu interior. Atividades internas e realização de transações comerciais por meio de aplicativos, internet, telefone ou outros instrumentos similares e os serviços de entrega de mercadorias (delivery) estão mantidos. Ainda assim, deverão intensificar as medidas de higiene, disponibilizar álcool em gel e informações sobre COVID-19 aos clientes.

Também está suspenso o funcionamento, pelo mesmo prazo, de casas noturnas e demais estabelecimentos dedicados à realização de festas, eventos ou recepções. As empresas de construção civil deverão operar somente com a sua capacidade mínima necessária. Segundo a Prefeitura, as frotas de ônibus serão adequadas às necessidades e as rotas alteradas em relação a demanda, priorizando as linhas que atendem as unidades referenciadas para o tratamento dos casos suspeitos do COVID 19. A exemplo do Governo do Estado, fica determinada a suspensão da utilização das gratuidades no transporte coletivo para os estudantes da rede pública de ensino, em razão da suspensão das aulas. Até o momento, há 13 casos suspeitos que estão sendo investigados no município. Destes, quatro pacientes encontram-se internados em estado grave e os outros em isolamento domiciliar. Outros três casos suspeitos no município já foram descartados.

Mais do SFn