Covid-19: TRE-RJ adia eleições suplementares de Italva Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou as cassações dos diplomas da prefeita de Italva, Margareth de Souza Rodrigues (PP), e do vice-prefeito, Bruno Silva de Souza (PV), por compra de votos nas Eleições de 2016

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou as cassações dos diplomas da prefeita de Italva, Margareth de Souza Rodrigues (PP), e do vice-prefeito, Bruno Silva de Souza (PV), por compra de votos nas Eleições de 2016

Fotos: SF Notícias

Por unanimidade, o Colegiado do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro de Janeiro aprovou, na sessão desta terça-feira (17), o adiamento, para 21 de junho, da data de votação das novas eleições para prefeito e vice do município de Italva, no Noroeste Fluminense. Com a mudança, outras datas do calendário das eleições suplementares do município terão que passar por adequações. No dia 30 de março, quando a Corte volta a se reunir, o calendário eleitoral com as novas datas deverá ser divulgado. O adiamento das eleições suplementares faz parte de um conjunto de medidas institucionais anunciadas pelo Tribunal para ajudar a conter a propagação do coronavírus (Covid-19). (continua após a publicidade)

Atualmente o prefeito de Italva é Alcirley Lima (PRP), que era presidente da Câmara de Vereadores da cidade. Ele foi empossado como prefeito interino no dia 18 de fevereiro, após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmar as cassações dos diplomas da prefeita de Italva, Margareth de Souza Rodrigues (PP), e do vice-prefeito, Bruno Silva de Souza (PV), por compra de votos nas Eleições de 2016. A Corte Regional manteve as cassações da prefeita e do vice-prefeito por considerar que eleitores receberam dos candidatos vantagens pessoais em troca de votos, como o pagamento de exame médico e promessa de emprego.

Mais do SFn