Crianças sem cicatriz não precisam tomar nova dose de BCG Estudos comprovaram a eficácia da vacina também em crianças que não ficam com cicatriz após a aplicação

Estudos comprovaram a eficácia da vacina também em crianças que não ficam com cicatriz após a aplicação

A vacina BCG, principal forma de prevenção contra a tuberculose, não precisa mais ser reaplicada quando a criança não apresentar cicatriz vacinal. A recomendação já foi encaminhada pelo Ministério da Saúde aos estados e municípios e está de acordo com as novas determinações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Comitê Técnico Assessor de Imunizações (CTAI).

A vacina BCG deve ser administrada quando a criança nasce, em dose única. Se não for possível aplicá-la ainda na maternidade, os pais devem procurar uma das mais de 36 mil salas de vacinação localizadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e realizar a imunização da criança o mais rápido possível. O serviço é totalmente gratuito.

Por meio de nota, a pasta informou que estudos comprovaram a eficácia da vacina também em crianças que não ficam com cicatriz após a aplicação. Em 2017 – último ano com dados consolidados do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SIPNI) –, a cobertura vacinal da BCG apresentou um dos maiores índices de adesão no País: 96,2%. A imunização previne as formas graves da doença, como a miliar e a meníngea.


Mais do SFn