Daniel teria sido morto pelo simples fato de ter olhado para o autor do crime Morte de Daniel chocou os moradores de São Fidélis. Crime aconteceu no Centro da cidade, em frente ao Fórum

Morte de Daniel chocou os moradores de São Fidélis. Crime aconteceu no Centro da cidade, em frente ao Fórum

Caminhão pipa foi usado para limpar o local onde o crime aconteceu

Continua detido em uma unidade prisional do estado o homem acusado de ter matado Daniel Antunes Ferreira, de 30 anos. O crime, que chocou a população de São Fidélis, aconteceu na madrugada de domingo (07/04) em frente ao Fórum Francisco Polycarpo, na Praça Teixeira Soares, no Centro da cidade. A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária não informou em qual unidade Jorge Henrique Souza da Costa, de 22 anos, está detido.

Para os policiais militares, como consta em um termo de declaração feito no dia do crime, o acusado teria dito que acertou a barra de ferro em Daniel pelo fato dele ter ficado olhando para o acusado. Ele foi encontrado minutos após ter matado Daniel, a alguns quarteirões do local do crime, na Rua Osmar de Assis Maia, no Parque São José, próximo da casa do tio. No momento em que foi encontrado, o acusado estava sujo de sangue.

Os policiais militares informaram que ele não esboçou nenhuma atitude agressiva ao ser parado, mas não atendeu as ordens da abordagem, e o tio dele, que informou que Jorge sofre de esquizofrenia, precisou intermediar o contato entre ele e os PMs. Um dos policiais chegou a pedir ao tio que o convencesse a virar para ser algemado e entrar na viatura.

Daniel foi atingido com vários golpes de uma barra de ferro, que é acoplada a uma lata de tinta preenchida com cimento, algo comum de se encontrar nas ruas de São Fidélis, que é usado por muitos para guardar vagas de estacionamento e até para interditar ruas. Ele, que era bastante conhecido por ter trabalhado em lanchonetes e pizzaria no Centro da cidade, não resistiu aos ferimentos e morreu no local, que fica atrás da Igreja Matriz e perto do hospital.

Foi o patrão de Daniel que avisou a sua mãe sobre o ocorrido. Em depoimento, ela disse que não conhecia o acusado, mas que ficou sabendo que Daniel andava com Jorge. Quanto ao fato dele Jorge sofrer de esquizofrenia, o delegado da 141ª Delegacia Legal de São Fidélis, Dr. Carlos Augusto, informou ao SF Notícias que a eventual doença mental será aferida ao longo do processo.


Mais do SFn