Defesa agropecuária faz barreira fitossanitária em São Fidélis

Com o objetivo de prevenir a entrada e a disseminação de pragas quarentenárias  A2 no território  fluminense e a entrada de cargas de produtos vegetais não acompanhadas da PTV (Permissão de Trânsito de Vegetais), agentes da Defesa Agropecuária do Estado, realizaram a Operação Barreira Fitossanitária no final da tarde de hoje em São Fidélis.

O objetivo da operação e verificar se os caminhões que transportam produtos vegetais, possuem a nota fiscal do produto e a (PTV). As cargas que estiverem sem documentação e oferecendo risco ao estado, serão apreendidas e destruídas.

A Permissão de Trânsito de Vegetais é um documento emitido pelos Órgãos Estaduais de Defesa Sanitária, fundamentado pelo certificado fitossanitário de origem, que atesta a idoneidade sanitária do produto que a acompanha. Cargas de produtos como citros, banana, pinus, helicôneas e outras ornamentais são passíveis de exigências de documentação fitossanitária nas ações de fiscalização.

O Engenheiro Agrônomo da Defesa Sanitária Vegetal do Estado Evaristo Mezavilla, disse que os produtores de bananas da região, devem estar cadastrados na Secretaria de Defesa Sanitária Vegetal do Município que funciona junto a Emater  na Avenida Paranhos n° 365 e possuir a nota do produto para evitar problemas durantes a viagem.

Um dos objetivos dessa ação, é impedir a entrada da doença conhecida como Sigatoka-Negra no Estado. A Sigatoka Negra é considerada a doença mais destrutiva da cultura da bananeira, tendo como agente causal o fungo Mycosphaerella fijiensís Var. difformis, cuja forma imperfeita é Paracercospora fijiensis.

As condições necessárias para o pleno desenvolvimento da doença são índices elevados de temperatura e umidade, porém a doença tem ocorrido em regiões de clima atípico e provocado perdas significativas.

A operação contou com o apoio logístico de policiais do Batalhão de Polícia Rodoviária(BPRv).

 

 

 

 


Mais do SFn