quinta-feira , 13 dezembro 2018

Defeso da Piracema começou a valer em São Fidélis e pesca está proibida

Fotos: São Fidélis Notícias
Fotos: São Fidélis Notícias

Um movimento contra a pesca predatória, chamado “Defeso da Piracema”, que começou no dia 01 de novembro (sábado), está valendo para todo o país e inclusive no município de São Fidélis, onde existe a colônia de pescadores que atua em outras nove localidades, mas para alguns municípios, falta ser realizado medidas importantes para que este Defeso funcione.

Em entrevista com a nossa equipe de reportagem, o presidente da colônia de pescadores de São Fidélis, Sirley de Souza Ornelas, disse que no município está faltando a fiscalização, que é um dos principais fatores para haver a efetividade do movimento e esclareceu também, que não é proibido vender peixe no período de Defeso, desde que o pescador ou proprietário de determinado comércio, tenha uma declaração de estoque cedida pelo Ibama.

Presidente da Colônia de Pescadores“Está proibido pescar até o dia 28 de fevereiro de 2015, e para isso deveria haver fiscalização e infelizmente não é o que estamos vendo. Cada município está formando a sua guarda ambiental, mas também têm que ser aprovado pela câmara municipal, um código que permite aos guardas multarem”, explicou o presidente.

Ele ainda informou, que o governo está pagando um salário mínimo aos pescadores, para que eles deixem de pescar. Sirley lembrou da situação de seca em que todo o estado do Rio, São Paulo e Minas Gerais está passando, e que está afetando os rios, diminuindo o volume da água e fazendo com que fique mais fácil a captura dos peixes. “Muita gente que não é pescador também pratica a pesca, e quem leva a culpa são os próprios pescadores”, disse.

A secretaria de meio ambiente de São Fidélis ainda não está equipada com embarcação para realizar as dirigência, e agora está concluindo o processo licitatório para a aquisição de uniformes, e só a partir do momento que receberem estes recursos e vier a parceria com o Corpo de Bombeiros para realizar as fiscalizações, irão poder efetuar o trabalho de Defeso. Isto é o que conta o Secretário de Meio Ambiente, Leandro Queiroz Peixoto.

“Ainda não temos a estrutura necessária para realizar as fiscalizações, deveríamos ter previsto este problema, mas acabou não sendo feito pelo município, nem pelo estado e nem pela União”. Comentou o secretário.

Leandro concluiu dizendo, que a Secretária de Meio Ambiente Secretário de Meio - Ambientefez uma manifestação semana passada, com o Ministério Público Federal, a respeito da transposição do Rio Paraíba do Sul e fizeram uma sugestão de que seja criado um Defeso Emergencial, por causa do baixo volume das águas do Paraíba. “Pessoas estão sendo flagradas pescando peixes das matrizes do Rio Paraíba, e por consequência da retirada dos peixes que são responsáveis pela reprodução, a pessoa estará aniquilando a produção”, relatou.

No município de São Fidélis existem 200 pescadores cadastrados. Ernesto Machado, Pureza, Angelim, Cambiasca, Rio grande e Valão dos Milagres também existem alguns pescadores. A colônia de São Fidélis têm uma juridição de outros municípios, com quase seiscentos pescadores filiados. A pesca em no município têm uma representatividade extrema, mesmo com dificuldades, essa atividade tenta sobreviver.

rio-1

 

 


Mais do SFn