É preciso ouvir a criança que existe em nós

Nos dias de hoje, em que a correria dos compromissos diários, sufocam e ocupam nosso tempo, abre espaço para as irritações, o estresse e principalmente o afastamento do convívio familiar!
Deixamos de estar mais presentes na vida dos nossos pequenos e desfrutar de uma deliciosa troca de experiência e convivência.
Esta semana, vamos comemorar nacionalmente o Dia das Crianças…
E assim reservamos o tempo que nos falta para presentear, brincar e participar do dia dos nossos filhos, sobrinhos, afilhados, netos.
Mas será que esse é o verdadeiro significado e sentido?
O que temos deixado de viver e participar nos outros 364 dias, é suprido por um lindo embrulho de presente (isso quando existe condiçoes financeiras para o mesmo).
O que temos perdido nessa pouca convivência, dá para ser recompensado em um único dia?
As histórias que deixamos de contar, as conversas que deixamos de ter, as experiências do dia que deixamos de trocar, a reunião em volta da mesa para compartilhar…
Falo e me preocupo como mãe, que por vezes me pego cansada demais para ouvir uma historinha do colégio, uma nova descoberta, e aí, quando minha pequena dorme, a consciência pesa, e a mente cansada, martela na culpa do “sem tempo”!
E por esse Brasil a fora, que comemora o Dia das Crianças, mas não assegura seus direitos, primordiais e de lei pelo Estatudo da Criança e do Adolescente.
Menores filhos dessa Pátria Amada, sem condições de saúde, educação e esporte, e que ficam à mercê da marginalidade que sabe muito bem aproveitar a brecha deixada pelo Sistema. Incluindo esses pequenos, em um mundo que na maioria esmagadora das vezes, não tem volta, porque até a forma de disciplinar é falha!
Mas não podemos nos privar da responsabilidade como família!
Que o 12 de Outubro seja todos os dias!
Vamos ouvir a voz da criança que ainda existe em nós, lembrar-se da nossa infância e resgatar o que no nosso íntimo era tão importante e que hoje faz falta na relação Pais e filhos!

Feliz 12 de outubro (01 de Janeiro a 31 de Dezembro)!

Art. 4º do ECA – “É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.”

Mais do SFn