sexta-feira , 24 março 2017

Educação, competição e sonho olímpico em projeto de atletismo em Macaé

werfgyuiuouo
Fotos: divulgação

A Olimpíada do Rio de Janeiro se aproxima, e os holofotes dos quatro cantos do planeta estarão voltados para a Cidade Maravilhosa no mês de agosto. Ver de perto esse evento é uma grande motivação para quem sonha um dia em disputar os Jogos. Em Macaé, há quem sonhe, e acredite de verdade, que pode representar a Princesinha do Atlântico na próxima edição, já em 2020, em Tóquio, no Japão.

É o sentimento do professor Hiller Franco, quem conduz uma equipe de atletismo com sede no Ciep Maringá, no bairro Campo D’Oeste: “Nosso objetivo é ter atletas disputando as Olimpíadas de 2020 ou, até, 2024”.

As palavras motivadoras do treinador têm motivo. A Fesporte, em parceria com a Secretaria de Educação, realiza um projeto socioeducacional e esportivo, que já dura sete anos. Nele há duas vertentes. Uma equipe de atletismo, com atletas a partir de 12 anos até a idade adulta, que disputam competições estaduais e nacionais, e uma escolinha de atletismo para alunos e simpatizantes do esporte.

Dentro do atletismo, há aulas e treinamentos de várias modalidades de pista e campo. Corridas de velocidade, de meio e fundo, e de fundo, corridas com barreira, salto, salto em distância, salto em altura, arremessos de peso e lançamento de dardo e disco, dentre outras.

Na última semana, oito atletas de Macaé foram até São Paulo para disputar o Campeonato Brasileiro. De lá, dois ficaram entre os oito melhores, feito de orgulhar Hiller. wertyuiuoiupiopi“No cenário estadual temos uma projeção grande. Já tivemos vários campeões estaduais e recordistas. Macaé é conhecido estadualmente no atletismo. No Nacional, é a nossa terceira competição apenas. Uma das motivações de entrar foi em 2012, quando tivemos um atleta campeão nacional”, conta.

Fora do brilho das medalhas e do sonho olímpico, muitos alunos se divertem nas aulas de atletismo. Saltam, correm, arremessam dardos e são campeões de educação. Mais do que títulos, o projeto educa e forma bons cidadãos, outra grande vitória do atletismo em Macaé.

“Normalmente as pessoas veem um bom trabalho pelas medalhas, mas é nítida a melhora dos alunos. Aqueles que fazem o atletismo melhoram em tudo, isso nos dá orgulho. Aqui no Ciep Maringá, os melhores alunos da escola em comportamento e notas, são alunos do atletismo”, comemora Hiller.

SFn