terça-feira , 20 agosto 2019

Em operação, CREF1 flagra falsos profissionais de educação física em Campos e Cardoso Fiscais fizeram três flagrantes de exercício ilegal da profissão. Eles também encontraram cinco profissionais de educação física orientando atividades sem a habilitação em SBV

Fiscais fizeram três flagrantes de exercício ilegal da profissão. Eles também encontraram cinco profissionais de educação física orientando atividades sem a habilitação em SBV

Em mais uma etapa da “Operação Fronteira”, fiscais do Conselho Regional de Educação Física (Cref1) flagraram um falso profissional orientando atividade de treinamento funcional para nove clientes. O flagrante aconteceu no município de Cardoso Moreira. Além da irregularidade, o local onde o mesmo foi encontrado estava sem Responsável técnico nomeado. O falso profissional foi encaminhado para a 148ª Delegacia Legal de Italva para o registro da ocorrência. Pela inexistência do registro profissional no CREF1, o que caracteriza exercício ilegal da profissão segundo o art. 47 da Lei de Contravenções Penais, o caso será encaminhado ao Ministério Público, que dará seguimento ao processo.

A Primeira etapa da operação acontecem no início do mês Campos, onde os fiscais realizaram dois flagrantes de exercício ilegal da profissão, em musculação e natação, e um encaminhamento à delegacia. A ação tem o objetivo de prevenir e reprimir a prática ilegal da Educação Física, além de verificar se a categoria local possuí a habilitação em Suporte Básico de Vida (SBV), conforme exige a Lei Estadual 7696/17. Além do exercício ilegal, os fiscais também encontraram cinco profissionais de educação física orientando atividades sem a habilitação em SBV; seis estabelecimentos não possuíam responsável técnico nomeado e quatro não tinham registro de pessoa jurídica junto ao CREF1; e nove locais funcionavam sem a presença obrigatória do profissional de educação física.

A supervisora de fiscalização do CREF1, Giovanna Pereira, informou que o Conselho vem recebendo diversas denúncias de que pessoas não qualificadas estariam exercendo irregularmente a profissão. “Tem sido notória a preocupação da sociedade quanto ao funcionamento destes locais, ninguém quer praticar atividade em um lugar que oferece riscos”, conta.

Segundo Giovanna, é de extrema importância saber se o local onde você se exercita tem a presença de profissionais registrados. “Além de ser exigido pela lei 9696/98, que regulamentou a Educação Física como há mais de 20 anos, é um indicativo de que a pratica do exercício está sendo orientada de forma segura e com qualidade”, conclui.


Mais do SFn