Empresa de Pádua pode ser multada em até R$ 2 milhões por lançar efluentes fora dos padrões no Rio Pomba Inea disse que empresa executou a limpeza das margens do rio e da área atingida

Inea disse que empresa executou a limpeza das margens do rio e da área atingida

Imagens: reprodução WhatsApp / Polícia Ambiental

Foi após uma denúncia feita por pescadores que o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) constatou o despejo de efluentes líquidos fora dos padrões estabelecidos pela legislação no Rio Pomba, em Santo Antônio de Pádua. Segundo o órgão, os resíduos estavam sendo lançados por uma fábrica de papel localizada na estrada que liga Pádua ao distrito de Campelo, no bairro Barro Branco. O vídeo feito por pescadores foi gravado no local conhecido como “Quebra Anzol”.

“Olha o estado da água. Tá pior que leite. O fundo do rio chega a ferver” diz um dos pecadores na filmagem.

continua após o vídeo

De acordo com o Inea, uma equipe esteve na empresa no dia 30 de setembro do ano como foi mostrado pelo SF Notícias. Naquele dia, a Polícia Ambiental informou que um dos sócios da empresa apresentou toda a documentação exigida por lei para tal empreendimento, e que durante a fiscalização, os policiais encontraram na saída de esgoto da empresa, uma água turva e uma grande quantidade de dejetos (substância de cor cinza) com aparência de uma suposta poluição.

Segundo o Inea, técnicos do instituto constataram que a indústria estava lançando efluentes líquidos fora dos padrões estabelecidos pela legislação, apesar da mesma possuir Estação de Tratamento de Efluentes Industriais.

O Inea disse ainda que emitiu Auto de Constatação à empresa que poderá ser multada em até R$ 2 milhões, e que a empresa executou a limpeza das margens do rio e da área atingida.

Nossa redação entrou em contato com a Inpel e aguarda o envio do posicionamento da empresa.


Mais do SFn