sexta-feira , 6 dezembro 2019

Enel diz que não há irregularidade em medição de consumo; Procon de S.Fidélis abre investigação Segundo a empresa, com as altas temperaturas do verão, há aumento no consumo de energia, devido ao uso mais frequente da geladeira, ar condicionado e ventilador, por exemplo

Segundo a empresa, com as altas temperaturas do verão, há aumento no consumo de energia, devido ao uso mais frequente da geladeira, ar condicionado e ventilador, por exemplo

O alto valor das contas de luz do mês de janeiro segue causando indignação em moradores de São Fidélis e outras cidades da região. Nesta sexta (18), conforme noticiado pelo SF Notícias, o superintendente do Procon de São Fidélis, Adriano de Oliveira Azevedo, anunciou que abrirá uma investigação contra a Enel.

Procurada por nossa redação, a Enel Distribuição Rio informou que “não há qualquer irregularidade no processo de medição e faturamento da companhia”. Segundo a empresa, com as altas temperaturas do verão, há aumento no consumo de energia, devido ao uso mais frequente da geladeira, de aparelhos de ar condicionado e ventilador, por exemplo.

“Não houve alteração de tarifa no mês de janeiro/19. Além disso, a distribuidora ressalta que quando o consumo de energia ultrapassa 300 kWh, o ICMS que incide sobre a conta passa de 18% para 31%” – diz trecho da nota.

A Enel orientou para que os consumidores verifiquem seu consumo de energia em kWh, comparando o valor consumido atualmente com o do mesmo mês do ano passado. “É importante ressaltar que, mesmo com o consumo parecido nos verões de 2018 e 2019, os clientes verificarão um aumento no valor das contas deste ano, devido ao reajuste tarifário anual que ocorreu em 15 de março de 2018” – acrescenta a empresa. 

A companhia esclareceu ainda que, em uma conta de luz no valor de R$ 100, por exemplo, apenas R$ 22,7 são destinados às atividades da distribuidora, para operação, expansão, manutenção da rede de energia elétrica e para remuneração dos investimentos. Cerca de R$ 31,20 são destinados ao pagamento de impostos e R$ 12,6 são encargos setoriais. Além disso, R$ 26,5 são direcionados a custos de energia e R$ 6,9 à transmissão. “A distribuidora ressalta ainda que os valores do Sistema de Bandeiras Tarifárias e a definição da bandeira de cada mês são fixadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica”.

Para o superintendente do Procon de São Fidélis, “há algo muito estranho e obscuro nas cobranças”. Adriano afirmou que estará na loja da companhia nesta segunda (21) com a notificação em mãos e convocou a todos para acompanhá-lo “em mais esta batalha”, levando as contas na data informada às 9h.

Mais do SFn