Escolas de São Fidélis divulgam notas sobre boatos de que homem estaria sondando as unidades Após compartilhamentos em redes sociais, instituições informaram que estão realizando o devido monitoramento do ambiente escolar

Após compartilhamentos em redes sociais, instituições informaram que estão realizando o devido monitoramento do ambiente escolar

Massacre em Suzano (SP) Foto: Reprodução/ TV Globo

O massacre ocorrido na Escola Raul Brasil, em Suzano (SP) deixou todo o país em um clima de medo e tensão. Com isso, diversos boatos começaram a se espalhar, principalmente nas redes sociais. Em outros casos, a Polícia Civil do Rio chegou a apreender adolescentes, que planejaram ataques e até levaram facas para a escola no Rio de Janeiro.

Em São Fidélis, uma brincadeira de mau gosto na última semana assustou alunos e funcionários do Colégio Estadual. A Polícia Militar foi acionada após estudantes relatarem em um grupo de um aplicativo que levariam facas para dentro da unidade. Guarnições foram enviadas ao Colégio e por precaução, a PM estendeu o patrulhamento na frente da escola.

Já nesta semana, boatos em redes sociais sobre um homem não identificado nos arredores das escolas da cidade gerou pânico entre os moradores. Em algumas das mensagens compartilhadas, o homem – que teria entre 25 e 30 anos – teria ido a várias instituições e feito anotações.

Algumas destas instituições, que estariam sendo “observadas” pelo homem, usaram seus perfis oficiais em redes sociais para tranquilizar alunos, pais e a população em geral. “Gostaríamos de tranquilizar a comunidade escolar no que tange a boatos pelas Redes Sociais sobre um suposto homem não identificado circulando aos arredores das escolas da cidade. Informamos que a nossa Escola está atenta e estamos fazendo o devido monitoramento do ambiente escolar” – publicou o  Colégio Fidelense.

“O Educandário Rainha dos Apóstolos já tomou as devidas providências para averiguar os boatos de que um homem não identificado estaria observando a escola. Estamos atentos na manutenção da segurança de nossos alunos” – informou o Educandário.

O CPUC também informou que tomou providências para averiguar os boatos. “Gostaríamos de tranquilizar a comunidade escolar e dizer que estamos atentos e empenhados na manutenção da segurança dos nossos alunos”.

A Escola Nuvem de Algodão tranquilizou a comunidade escolar sobre o boato e disse estar atenta e realizando o devido monitoramento do ambiente escolar, tomando todas as providências cabíveis para manter a segurança dos alunos.

Já o CEASF  informou que o transtorno resultando em desentendimentos entre duas pessoas ocorrido na segunda (18) na Instituição é um caso isolado e particular. “Não há relação com o boato de que um homem não identificado está indagando as escolas em busca de informações sobre os estudantes. A Direção correspondente ao turno já tomou as devidas providências” – diz a nota.


Mais do SFn