Esposa e amante, um PM, planejaram morte do embaixador da Grécia Um primo do PM também teria participação no crime

Um primo do PM também teria participação no crime

Fotos: Reprodução

A Polícia do Rio de Janeiro decretou a prisão preventiva de três suspeitos de envolvimento na morte do embaixador da Grécia. O crime foi planejado pela esposa e executado pelo amante dela, um Policial Militar, com ajuda de um primo.

Kyriakos Amiridis, de 59 anos, estava desaparecido desde a última segunda-feira. A própria embaixatriz, Françoise Amiridis, comunicou o desaparecimento do marido. O corpo do embaixador foi encontrado carbonizado em um carro, mas ele pode ter sido morto com uma arma que o mesmo mantinha em sua casa.

Segundo a Polícia, o soldado da PM, Sérgio Gomes, confessou o assassinato. Em depoimento, ele afirmou que agiu por legítima defesa durante uma briga, ele teria dado um golpe que acabou matando o embaixador e então pedido auxílio ao primo para sumir com o corpo.

Já o primo do PM, Eduardo Tedeschi, incriminou a embaixatriz afirmando que a mesma ofereceu R$ 80 mil pelo crime. Kyriakos deixa uma filha de 10 anos. A família morava em Brasília e estavam passando as férias em Nova Iguaçu.


Mais do SFn