terça-feira , 10 dezembro 2019

Estudo para privatização dos Correios é autorizado por Bolsonaro Estatal diz que a privatização pura e simples será uma perda tanto para o país quanto para a sociedade

Estatal diz que a privatização pura e simples será uma perda tanto para o país quanto para a sociedade

Fotos: Reprodução

Através de seu perfil em uma rede social o presidente Jair Bolsonaro informou que está autorizado o estudo para a privatização dos Correios. O presidente lembrou ainda os casos e as suspeitas de irregularidades que envolveram a estatal.

“Demos OK para estudo da privatização dos Correios. Temos que rememorar para a população o seu fundo de pensão. A empresa foi o início do foco de corrupção com o mensalão, deflagrando o governo mais corrupto da história. Com o Foro de SP destruíram tudo nome da Pátria Bolivariana” – diz a publicação.

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos tem 356 anos de existência e é subordinada hoje ao Ministério das Comunicações, Ciência, Tecnologia e Inovação. Após prejuízos registrados entre 2103 e 2016, a estatal registrou lucro de R$ 667,3 milhões em 2017 e R$ 161 milhões em 2018.

Em publicação em seu blog oficial os Correios lembraram que a exclusividade postal do Estado ainda é uma realidade para a grande maioria dos correios no mundo. “Em países de extensão territorial comparável à do Brasil, como Estados Unidos, China, Canadá, Rússia e Austrália, eles são públicos e exercem o importante papel de integração nacional” – disse a estatal.

A empresa afirmou ainda que a privatização pura e simples do correio brasileiro será uma perda tanto para o país quanto para a sociedade. A estatal usou como exemplo a DHL, que é resultado de uma política pública de capitalização do correio da Alemanha. “Em vez de privatizar o correio alemão, o governo optou por capitalizá-lo e fez uma abertura parcial de capital – o controle continua com o governo” – ressaltou a empresa.

Com informações da Agência Brasil

Mais do SFn